Evangelho de quinta-feira: nos planos de Deus

Comentário ao Evangelho de quinta-feira da IV semana da Páscoa. «Desde já vo-lo digo antes que aconteça, para que, quando acontecer, acrediteis que Eu Sou». Deus está sempre junto de nós como um Padre amoroso. Nos momentos difíceis recordemos que “Ele é a nossa paz”.

Evangelho (Jo 13, 16-20)

Naquele tempo, Quando Jesus acabou de lavar os pés aos seus discípulos, disse-lhes:

«Em verdade, em verdade vos digo: O servo não é maior do que o seu senhor, nem o enviado é maior do que aquele que o enviou. Sabendo isto, sereis felizes se o puserdes em prática. Não falo de todos vós: Eu conheço aqueles que escolhi; mas tem de cumprir-se a Escritura, que diz: ‘Quem come do meu pão levantou contra Mim o calcanhar’. Desde já vo-lo digo antes que aconteça, para que, quando acontecer, acrediteis que Eu Sou. Em verdade, em verdade vos digo: Quem recebe aquele que Eu enviar, a Mim recebe; e quem Me recebe a Mim, recebe Aquele que Me enviou».


Comentário

«Quem come do meu pão levantou contra Mim o calcanhar». Jesus avisa os seus apóstolos que um amigo próximo – só pode ser um deles – irá traí-lo. No entanto, perante esta inesperada comoção, não devem ter medo. De facto, esta traição, quando ocorrer, será um sinal para eles, para que «acrediteis que Eu sou»: a frase «Eu sou» é uma afirmação velada da sua divindade. Assim, o evento confirmará os apóstolos na sua fé. É-lhes pedido que se firmem na sua crença n'Ele como Filho de Deus, mesmo quando O vejam crucificado na Cruz. Sabemos que os apóstolos fugiram, mas teriam lembrado de antemão o aviso de Nosso Senhor, e embora estivessem sem dúvida muito abalados, tinham voltado a reunir-se como um grupo no momento da Ressurreição.

Na vida encontramos muitas surpresas, e algumas delas não esperamos. Podemos até sofrer um revés que parece desastroso. Mas este revés não nos deve desconcertar; «o servo não é maior do que o seu senhor», diz Jesus, e tais deceções irão certamente acontecer-nos também a nós. Sempre que a Cruz aparece nas nossas vidas, devemos recordar as palavras de Nosso Senhor e reafirmar a nossa fé como Seus discípulos. Podemos até identificar-nos com Ele quando somos defraudados por outros.

Imediatamente antes deste episódio, Jesus tinha lavado os pés dos seus discípulos, uma tarefa muito serviçal, mas que só era realizada por criados naquela época. Ele tinha também ordenado aos apóstolos que se servissem sempre uns aos outros como o tinham visto fazer. Há que imaginar Jesus ajoelhado a tomar amorosamente o calcanhar do pé de Judas para o lavar. Então as palavras do Salmo citadas por Nosso Senhor, «Quem come do meu pão levantou contra Mim o calcanhar» (Sl 41, 9), assumem um significado adicional para além do metafórico. É outra prova e lembrança de que nada fica fora dos planos de Deus. Jesus sabia desde o início o que ia acontecer, e que era para a realização da nossa salvação. Aconteça o que acontecer nas nossas vidas, podemos estar seguros de que Deus transformará todas as coisas em bem para aqueles que O amam (cf. Rom 8, 28).

Photo: Gabriel Jimenez Unsplash // Andrew Soane