Santos Arcanjos Miguel, Gabriel e Rafael

No dia 29 de setembro celebramos a festa dos Santos Arcanjos Miguel, Gabriel e Rafael. Recordamos a história de como S. Josemaría os escolheu como padroeiros do Opus Dei.

Opus Dei - Santos Arcanjos Miguel, Gabriel e RafaelS. Miguel, S. Gabriel e S. Rafael

O seguinte texto foi extraído do livro “O Fundador do Opus Dei” de Andrés Vázquez de Prada (Volume I, Capítulo VII)

“Na quinta-feira, dia 6 de outubro de 1932, fazendo oração na capela de S. João da Cruz, durante o seu retiro espiritual no Convento dos Carmelitas Descalços de Segóvia, teve a moção interior de invocar pela primeira vez os três Arcanjos e os três Apóstolos; S. Miguel, S. Gabriel e S. Rafael; S. Pedro, S. Paulo e S. João. A partir daquele momento considerou-os Padroeiros dos diferentes campos apostólicos que compõem o Opus Dei.

Sob o patrocínio de S. Rafael estaria o trabalho de formação cristã da juventude; dela sairiam vocações para a Obra, que colocaria sob a invocação de S. Miguel, com o objeto de os formar espiritual e humanamente. Quanto aos pais e mães de família que participassem nas tarefas apostólicas, ou fizessem parte da Obra, teriam por padroeiro S. Gabriel.

Dois dias mais tarde, no sábado, escreve: — Rezei as preces da Obra de Deus, invocando os Santos Arcanjos nossos Padroeiros: São Miguel, São Gabriel, São Rafael... E que segurança tenho de que esta tripla chamada, a senhores tão elevados no reino dos céus, há-de ser — é — agradabilíssima ao Deus Trino e Uno e há-de apressar a hora da Obra!

Noutra “catalina” de 8 de maio de 1931, festa da "aparição de S. Miguel", lê-se: — Encomendei a Obra a S. Miguel, o grande batalhador, e penso que me ouviu.


Textos relacionados

🞄 Explicação do momento em que S. Josemaría começou a invocar S. Miguel, S. Gabriel e S. Rafael como patronos da Opus Dei.

🞄 As obras dos Arcanjos (Capítulo de “Huellas en la nieve”, biografia do Fundador do Opus Dei escrita por Peter Berglar)