S. Josemaria Escrivá
“As ocupações correntes e vulgares têm um sentido divino, de eternidade”.