Evangelho de segunda-feira: acolher a palavra de Jesus

"Passando no meio deles, retirou-Se ". Jesus vai-Se dando a conhecer como Messias, e é rejeitado desde o início. O Senhor quer que nós O acolhamos com liberdade, e este tempo de Quaresma é uma oportunidade que havemos de saber aproveitar.

Evangelho (Lc 4, 24-30)

E [Jesus] acrescentou:

– Em verdade vos digo, que nenhum profeta é bem recebido na sua terra. Em verdade vos digo que muitas viúvas havia em Israel no tempo de Elias, quando, durante três anos e seis meses, o céu se fechou, e houve uma grande fome em toda a terra. E a nenhuma delas foi enviado Elias, mas a uma viúva em Sarepta, de Sidónia. Havia também muitos leprosos em Israel no tempo do profeta Eliseu, e nenhum deles foi curado a não ser Naaman, o sírio.

Ao ouvirem estas coisas, todos na sinagoga se encheram de ira e se levantaram, expulsaram-No para fora da cidade, e conduziram-No até ao cimo do monte sobre o qual a cidade estava edificada, para o precipitarem dali abaixo. Mas Ele, passando no meio deles, retirou-se.


Comentário

Jesus pronuncia estas palavras na sinagoga de Nazaré. Conhecia-a muito bem, pelos muitos anos em que lá foi, acompanhado de Maria e José, para rezar e ouvir a Palavra de Deus.

Nesta ocasião, a Sua presença na Sinagoga é diferente. Chegou o momento de Se dar a conhecer, e fá-lo como profeta: "nenhum profeta é bem recebido na sua terra".

Os que O ouviam estavam familiarizados com a História de Israel, e Ele dá-lhes o exemplo de Elias e da viúva de Sarepta, e o do profeta Eliseu e de Naaman, o Sírio.

Os ouvintes revoltam-se contra Jesus, cheios de raiva. Não aceitam um profeta, um messias da humilde condição de Jesus. Procuravam um messias que os libertasse do jugo dos romanos. Não tinham um coração realmente aberto à verdade. Parece que estavam cheios de preconceitos, que sempre impedem de ver a riqueza da Palavra e da sua ação salvadora.

E tentam matá-lo, mas não conseguem. Jesus segue o Seu caminho, passando pelo meio deles. Não chegou o momento da Cruz,só o Pai determinou o momento da morte de Jesus na cruz.

Lemos esta passagem evangélica a meio do tempo da Quaresma. Vemos mais uma vez Jesus que é rejeitado por parte do Seu povo. Ele, que veio encher as almas de verdadeira alegria, não é compreendido nem aceite.

Este tempo de Quaresma é uma boa oportunidade para meditarmos sobre como estamos a acolher a Palavra de Jesus: aquela que achamos mais agradável e a que nos custa um pouco mais a aceitar.

Javier Masa / Photo: Matteo Grando G - Unsplash