Evangelho de terça-feira: o segredo de Jesus

Comentário ao Evangelho de terça-feira da I semana do Tempo Comum. «Cala-te e sai desse homem!». O Senhor responde com estas palavras fortes a um endemoninhado que O tinha reconhecido como o Santo de Deus. Meditemos sobre este "segredo" que Jesus não quer dar a conhecer e qual é o motivo profundo que O leva a impor o silêncio.

Evangelho (Mc 1, 21-28)

Jesus chegou a Cafarnaum e quando, no sábado seguinte, entrou na sinagoga e começou a ensinar, todos se maravilhavam com a sua doutrina, porque os ensinava com autoridade e não como os escribas. Encontrava-se na sinagoga um homem com um espírito impuro, que começou a gritar:

«Que tens Tu a ver connosco, Jesus Nazareno? Vieste para nos perder? Sei quem Tu és: o Santo de Deus».

Jesus repreendeu-o, dizendo:

«Cala-te e sai desse homem».

O espírito impuro, agitando-o violentamente, soltou um forte grito e saiu dele. Ficaram todos tão admirados, que perguntavam uns aos outros:

«Que vem a ser isto? Uma nova doutrina, com tal autoridade, que até manda nos espíritos impuros e eles obedecem-Lhe!».

E logo a fama de Jesus se divulgou por toda a parte, em toda a região da Galileia.


Comentário

Jesus está em Cafarnaum a pregar e a realizar milagres. Aqui vemos que a mensagem que veio trazer é apresentada com uma força surpreendente, de tal forma que o Senhor rapidamente passa a ser uma personalidade famosa, surpreendendo aqueles que O veem e ouvem.

Nesta ocasião, é-Lhe trazido um endemoninhado que, reconhecendo imediatamente que Jesus é o Santo de Deus, recebe em resposta algumas palavras taxativas do Senhor: Cala-te e sai desse homem. Ao longo do Evangelho de Marcos voltaremos a constatar que Jesus quer que a sua verdadeira identidade seja mantida em segredo (cf. Mc 1, 25.34.44; 3, 12; 5, 43; 7, 24.36; 8, 26.30; 9, 9).

Qual era a intenção de Jesus ao impor este silêncio? Podemos compreendê-l’O se considerarmos que o diabo desde o primeiro momento tenta desviar Jesus para a lógica humana de obter êxito através da força e do espetáculo, ao passo que o Senhor sabe que o sofrimento e a humilhação da cruz são parte fundamental da sua missão.

Jesus não cede à tentação do caminho fácil. Ele sabe que, se quer derrotar o diabo, não Se deve distrair com as flores do caminho, mas ir diretamente ao encontro das trevas do sofrimento e da morte, para nos mostrar que, mesmo nessas circunstâncias adversas, a luz de Deus continua presente e não nos abandona.

Hoje o demónio continua a atuar do mesmo modo e tenta por todos os meios distrair-nos da vocação a que o Senhor nos chamou. Uma vez mais, Jesus ensina-nos a não dialogar com a tentação, mas a vencê-la mediante um resoluto cala-te! quando for necessário.

Martín Luque // Darwel - Getty Images Pro