Viagem do prelado do Opus Dei à Nigéria (Julho 2018)

O Prelado do Opus Dei, Monsenhor Fernando Ocáriz, concluiu na quinta-feira, 26 de julho, uma visita pastoral de seis dias à Nigéria. Esteve com muitos fiéis da Prelatura e amigos. O trabalho apostólico do Opus Dei na Nigéria começou em 1965.

Do Prelado

Para saber como ativar legendas em português, clique aqui.

26 de julho | 25 de julho | 24 de julho | 23 de julho | 22 de julho | 21 de julho | 20 de julho |


Quinta-feira, 26 de julho

O dia 26 de julho foi o último da visita de Monsenhor Ocáriz à Nigéria. Na Missa que celebrou de manhã na festa de S. Joaquim e Santa Ana, convidou os presentes a considerar o facto histórico da Encarnação de Jesus Cristo e o seu valor salvífico. Pediu também a Nossa Senhora que nos ajude a ser pessoas que semeiam esperança nos corações de todos os que nos rodeiam.

A seguir, foi recebido pelo Arcebispo de Lagos, Monsenhor Alfred Adewale Martins, num encontro caraterizado por cordialidade e alegria. No caminho, o Prelado parou para entrar na catedral católica de Lagos, onde rezou uns minutos diante do Santíssimo Sacramento.

FAZER DE JESUS CRISTO O CENTRO DA PRÓPRIA VIDA INTERIOR

De tarde, houve um último encontro com alguns fiéis da Prelatura. Um dos assistentes perguntou qual a mensagem que lhes queria deixar depois da sua estada no país. Monsenhor Ocáriz propôs três ideias: a necessidade de fazer de Jesus Cristo o centro da própria vida interior, o cuidado da caridade fraterna que se manifesta na unidade com os outros e o valor da liberdade. No fim do encontro, deu a bênção a todos os presentes.

Ao chegar ao aeroporto para apanhar o avião de regresso, esperavam-nos algumas famílias para se despedirem. Assim terminou estes seis dias de de visita pastoral a terras nigerianas.


Quarta-feira, 25 de julho

No dia 25 de julho , de manhã, Monsenhor Ocáriz visitou o Institute for Industrial Technology (IIT), obra social que proporciona conhecimentos técnicos a jovens com dificuldades de acesso à educação. O IIT nasceu em 2002, por ocasião do centenário de nascimento de S. Josemaria.

Visitou as diferentes instalações da escola e conversou com os estudantes. Na capela desta instituição, rezou pelos frutos do trabalho que ali se realiza.


Olumide Akinjo, diretor desta iniciativa, comentou ao Prelado que a educação proporcionada no IIT inclui temas transversais, como ética laboral, valores, matrimónio e vida familiar.

“ALÉM DE ADQUIRIREM COMPETÊNCIAS TÉCNICAS, OS ESTUDANTES TAMBÉM PRECISAM DE ADQUIRIR VALORES HUMANOS”

Alguns dos ex-alunos quiseram estar presentes durante a visita e cumprimentaram o Prelado. Vários deles manifestaram o seu apreço pela formação espiritual recebida nos seus anos de estudo, que os ajuda também a focar o seu trabalho na ótica do serviço. Monseñor Ocáriz escreveu umas palavras comemorativas numa imagem apresentada pelos ex-alunos.

Estimulou os responsáveis a fomentar entre os estudantes a preocupação pelo bem comum, que terá impacto nas respetivas comunidades. “Além de adquirirem competências técnicas, os estudantes também precisam de adquirir valores humanos”, disse.

A seguir, Monseñor Ocáriz foi rezar ao cemitério de Ikoyi, onde estão sepultados alguns fiéis da Prelatura.

Ao fim do dia, teve duas tertúlias em que escutou alguns testemunhos sobre o trabalho apostólico na Nigéria.


Terça-feira, 24 de julho

No sexto dia da sua viagem pastoral à Nigéria, Mons. Fernando Ocáriz viajou até Enugu, cidade no centro do país, a cerca de 700 quilómetros de Lagos. Reuniu-se aí com um grupo de sacerdotes diocesanos e seminaristas, com quem falou da beleza da vocação sacerdotal e da responsabilidade perante a missão que Deus lhes confiou. Um sacerdote pediu conselho sobre como levar a cabo as múltiplas tarefas na paróquia sem descuidar a própria vida de piedade. O Prelado encorajou-o a dar prioridade à oração pessoal, centrada em Jesus presente na Eucaristia, e a contar com uma programação diária que o ajude a enfrentar com ordem as diferentes responsabilidades.

O PRELADO ANIMOU A OLHAR PARA CRISTO ENQUANTO SE LEVAM A CABO AS OBRIGAÇÕES PROFISSIONAIS, FAMILIARES E DA VIDA CRISTÃ

A seguir, Mons. Ocáriz dirigiu-se ao Niger Foundation Hospital (NFH),instituição de saúde que conta com atendimento espiritual de sacerdotes do Opus Dei. Após umas calorosas boas-vindas, começou um diálogo entre os profissionais do hospital e o Prelado. Uma das veteranas, a Dra. Regina Akosa, que trabalha nesse centro desde o início, contou que os doentes manifestam o seu agradecimento tanto pela qualidade médica como pelo atendimento espiritual que está à sua disposição. Destacou que, para bastantes doentes, a capela do hospital é “o centro de gravidade”: católicos e não católicos vão lá procurar consolo diante de Jesus no Santíssimo Sacramento.

Mais tarde, o Prelado teve dois encontros com fiéis do Opus Dei no centro de conferências The Base. Recordou que Deus conta connosco para levar ao mundo os frutos da Redenção. "A oração e a Eucaristia dão-nos forças para pôr Cristo no centro das nossas vidas, pensamentos, obras e relaciones com os outros", afirmou. “Não desanimem perante as dificuldades, porque Deus está connosco", acrescentou. Contou que S. Josemaria era especialmente movido por aquele ensinamento paulino: “Se Deus está connosco, quem está contra nós?”.

Animou a olhar para Cristo enquanto se procura levar a cabo as obrigações profissionais, familiares e, em geral, da vida cristã. "Nesses momentos, dirijamos a atenção para Jesus Cristo para experimentar a nossa liberdade e assumir essas responsabilidades por amor a Deus, mais do que por nos vermos obrigados a isso. Encontraremos então a força que vem do amor de Deus", afirmou o Prelado.

"A ORAÇÃO E A EUCARISTIA DÃO-NOS FORÇAS PARA PÔR CRISTO NO CENTRO DAS NOSSAS VIDAS, PENSAMENTOS, OBRAS E RELAÇÕES COM OS OUTROS"

Mons. Ocáriz pediu orações pela pessoa e intenções do Papa Francisco e assegurou que a oração dá sempre fruto.

Durante o encontro, um senhor de 81 anos interveio e, ao contar que tinha perdido a mulher recentemente, recebeu umas palavras consoladoras do Prelado. Falou também um pai de família numerosa, perguntando sobre o valor da vida humana. "Toda a vida humana é criada por Deus", disse Mons. Ocáriz. "A alma é grande, amada por Deus e vale mais do que qualquer coisa material. Cada alma está destinada à felicidade eterna", acrescentou. Um rapaz novo fez uma pergunta sobre a vocação. O Prelado animou-o a pedir luz a Deus na oração e a manter uma atitude aberta, assegurando-lhe também as suas orações.


Segunda-feira, 23 de julho

Na segunda-feira,23 de julho, Mons. Ocáriz visitou o campus de la Pan-Atlantic University. No local, benzeu a nova ermida da Universidade dedicada a Nossa Senhora do Perpétuo Socorro e animou os presentes a ter uma grande devoção à Virgem Maria, confiando-Lhe todas as suas necessidades.

O Prelado percorreu as instalações universitárias e teve uma reunião com os responsáveis por este centro académico. “Quando as pessoas se formam humana, profissional e espiritualmente; quando lhes ensinam a preocupar-se pelos problemas da sociedade, a trabalhar e a pensar, isso tem repercussão nos diferentes aspetos da sua vida e contribui para o bem comum”, afirmou. “A preocupação pelo bem comum, indo para além dos interesses próprios, deve dirigir as ações das pessoas”, concluiu o Prelado, “pois é um modo seguro de encontrar a alegria e a felicidade duradouras que todos procuramos”.

Acrescentou que, justamente porque o projeto da Pan-Atlantic University é inspirado na conceção cristã da dignidade do homem, a formação que ali é proporcionada promove a liberdade de todos. A verdadeira liberdade consiste em escolher o que é objetivamente verdadeiro e bom, dois aspetos fundamentais para uma educação integral.

Antes de sair do campus, visitou o Eleko University Center, residência de rapazese deu uma bênção à residência universitária de raparigas Aster Hall, ainda em construção. Para recordar a sua visita, plantou uma árvore em cada um dos dois lugares.

“SERVIR E AJUDAR OS OUTROS ENCHE-NOS DE ALEGRIA”

O destino seguinte foi o Iroto Conference Center, no estado de Ogun. Pessoas das aldeias próximas deram-lhe as boas-vindas, dançando e cantando ao som de Ekabo (que significa “os Yoruba dão as boas-vindas”). Durante o breve encontro com Mons. Ocáriz, cantou-se una canção folclórica para guerreiros, acompanhada por tambores.

O Prelado recordou a todos que “servir e ajudar os outros nos enche de alegria” e estimulou a construir amizades profundas e a preocupar-se verdadeiramente pelo bem dos outros.

“A PREOCUPAÇÃO PELO BEM COMUM, INDO PARA ALÉM DOS INTERESSES PRÓPRIOS, DEVE DIRIGIR AS AÇÕES DAS PESSOAS”

Em resposta a uma pergunta sobre o sentido do sofrimento, disse que a salvação se realiza através da Cruz, que é um mistério que não abarcamos plenamente. "Pode encontrar-se a paz, mesmo no meio dos sofrimentos quando se unem à cruz de Cristo", explicou.

No final do encontro, pediram-lhe para voltar em breve.


Domingo, 22 de julho

No domingo, 22 de julho, na homilia da Missa, o Prelado comentou as palavras do Salmo: “O Senhor é meu pastor, nada me falta”, que lhe trazia àmemória umas palavras de S. Paulo de que S. Josemaria gostava muito:“Se o Senhor está connosco, quem está contra nós?” Concluiu recordando que, com Cristo, temos o mundo por herança.

De manhã, teve um encontro de formação com alguns fiéis da Prelatura e amigos, na capela do [colégio] Whitesands School de Lagos.


Mais tarde, saudou os responsáveis por algumas iniciativas educativas, tais como Whitesands School e Ikota Educational Foundation. Recordou-lhes que, na tarefa que levam a cabo, os ideais cristãos são transmitidos através do bom exemplo e de uma amizade sincera.

“NÃO SEGUIMOS APENAS UMA DOUTRINA BONITA OU UM IDEAL, MAS UMA PESSOA QUE ESTÁ MUITO PRÓXIMA DE NÓS NA SAGRADA EUCARISTIA”

Monsenhor Ocáriz teve a seguir um encontro com fiéis da Prelatura na Lagos Business School. Falou-lhes da "audácia" sobrenatural e da valentia de S. Josemaria que, confiando na graça de Deus, não se deixou intimidar pelas dificuldades. Estimulou os assistentes a que dessem a conhecer mais amplamente o chamamento universal à santidade na Nigéria.

Já com o olhar posto no próximo Sínodo sobre vocação e discernimento, uma das perguntas foi como ajudar os pais a compreender e a apoiar a vocação dos próprios filhos. O Prelado deu como exemplo o Apóstolo S. João, referindo que alguns jovens contam com suficiente maturidade sobrenatural e humana para se comprometerem. A maturidade não depende da idade, mas nasce de estar perto de Deus. Além disso, a vocação de um filho é motivo de agradecimento ao Senhor.

Num encontro com raparigas novas, em Lagoon School, o Preladoanimou-as a procurar a identificação com Cristo e a tornarem-se apóstolos. “Não seguimos apenas uma doutrina bonita ou um ideal, mas uma Pessoa que está muito próxima de nós na Sagrada Eucaristia”.

MONS. OCÁRIZ: A MATURIDADE NÃO DEPENDE DA IDADE, MAS NASCE DE ESTAR PERTO DE DEUS

Uma das assistentes perguntou-lhe que esperava das que frequentam os meios de formação cristã disponibilizados pelo Opus Dei. O Prelado falou da necessidade de partilhar com os outros a alegria de uma vida com Cristo: “O desejo de ajudar os outros a encontrar Cristo nasce do amor a Deus e da alegria de sermos filhos de Deus”.

“E como se chega a amar Cristo?”, acrescentou, “conhecendo-O, meditando as Escrituras, entrando nas cenas do Evangelho, e levando a sério umas práticas de piedade. Assim, somos capazes de amar e de manter viva uma relação com Cristo”.

Monsenhor Fernando Ocáriz, nos diferentes encontros, pediu a todos os presentes que rezassem com frequência pelo Papa e pela Igreja, especialmente na Missa.


Sábado 21 de julho

No terceiro dia da sua visita à Nigéria, o Prelado do Opus Dei, Monsenhor Fernando Ocáriz, conversou com alguns fiéis da Prelatura e amigos no[Colégio] Lagoon School Lekki e na Lagos Business School. Nesses encontros, havia pessoas procedentes de diversas cidades do país, tais como Lagos, Ibadan, Iloti, Nsukka, Enugu, Benin[City] e Abuja.

No Lagoon School, o Prelado fez uma reflexão sobre a passagem do Evangelho do dia, em que os fariseus desaprovam uma cura de Jesus realizada num sábado. Encorajou a difundir o Evangelho e a aumentar a confiança em Deus, apesar dasoposições, dos obstáculos e das dificuldades que experimentamos diariamente.

O PRELADO ANIMOU A VIVER UMA VERDADEIRA FRATERNIDADE, QUE SE TRADUZA EM OBRAS DE SERVIÇO, DE COMPREENSÃO E DE PERDÃO

Recordando umas palavras do Papa Francisco sobre a fé, que nos faz ver com o olhar de Cristo, o Prelado recalcou a necessidade de O descobrir na Eucaristia e de o colocar no centro da nossa vida. Instou todos a que pedissem ao Senhor a graça de se verem como Deus nos vê.

Animou a viver uma verdadeira fraternidade, que se traduza em obras de serviço, de compreensão e de perdão. O apostolado não é só uma tarefa humana, mas acima de tudo, sobrenatural, que consiste em ajudar a conhecer e a amar mais a Deus, comentou.

Ao responder a uma pergunta sobre a vocação dos filhos, aconselhou os pais a pôr a sua confiança em Deus. "Para discernir uma vocação, são necessárias a oração, a maturidade e a direção espiritual ", disse.

Questionado sobre o valor do trabalho da casa, Mons. Ocáriz disse que o ambiente, a beleza e a ordem na família facilitam o afeto e o desenvolvimento. Este trabalho "deixa uma marca duradoura nas pessoas", e acrescentou que "o trabalho da casa é a coluna vertebral do ambiente familiar no Opus Dei".

Face às dificuldades económicas que o país atravessa, situação que leva muita gente a emigrar, o Prelado aconselhou a trabalhar pelo bem comum e cada dia melhor. Afirmou também que cada país tem os seus próprios desafios e, embora emigrar possa parecer uma solução, pode não ser necessariamente a melhor.

MONS. OCÁRIZ ALENTOU OS JOVENS A APROVEITAR OS MEIOS DE FORMAÇÃO CRISTÃ PARA FAZEREM DE CRISTO O CENTRO DA SUA VIDA

Sobre a missão dos Cooperadores do Opus Dei, recordou que ajudam com o seu trabalho, orações, tempo e contribuições económicas.

Ao dirigir-se aos jovens, alentou-os a aproveitar os meios de formação cristã para fazerem de Cristo o centro da sua vida. Nos diversos encontros que teve, Monsenhor Ocáriz pediu orações pelo Papa.

Ao longo do dia, o Prelado recebeu famílias que queriam cumprimentá-lo. Algumas tinham viajado de cidades distantes como a de Benin


Sexta-feira 20 de julho

No dia 20, Mons. Fernando Ocáriz reuniu-se com alguns fiéis da Prelatura , partilhando com eles a alegria de os visitar “numa terra de grandes possibilidades” com a riqueza dos seus mais de 170 milhões de pessoas. Entre outros temas, animou-os a cultivar uma profunda amizade, amando muito a liberdade dos outros. Uma expressão deste amor pela liberdade, disse, é a necessidade de escutar ativamente os outros. Sublinhou ainda a beleza do serviço nas diversas ocupações.

No contexto da preparação para o próximo Sínodo dos Bispos, Monsenhor Ocáriz recordou que todas as pessoas têm uma vocação, também as que, de momento, não receberam o dom da fé. “Deus não abandona ninguém”, comentou. “A pergunta que cada um deve fazer a si mesmo não é tanto se tenho vocação, mas sim qual é a chamada que Deus me dirige”.

O trabalho apostólico do Opus Dei no país começou no ano de 1965. O Prelado anterior, D. Javier Echevarría, tinha estado neste país em 1999.