O Prelado na Suíça: “Tudo pode ser uma oportunidade para encontrar Jesus”

Mons. Fernando Ocáriz esteve em Zurique (Suíça) de 27 a 30 de julho, onde teve vários encontros com membros do Opus Dei. Também visitou o túmulo de Toni Zweifel, um engenheiro em processo de beatificação que foi fiel da Prelatura.

Opus Dei - O Prelado na Suíça: “Tudo pode ser uma oportunidade para encontrar Jesus”Mons. Ocáriz esteve em Zurique de 27 a 30 de julho.

Durante a sua visita pastoral a Zurique, Mons. Ocáriz concentrou a sua mensagem em três temas: o espírito de família da Obra, a oração e a alegria. Além disso, pediu para rezarem pelo Papa e pela Igreja.

A vocação para o Opus Dei, disse, é “uma missão que abarca toda a vida e implica a responsabilidade de ser apóstolos sempre, no trabalho, no descanso, na família, na universidade...”. Para os fiéis, “o dia todo é Opus Dei”, pois, ao oferecer cada dia a Deus, “tudo é uma oportunidade para encontrar Jesus Cristo e tudo pode ser transformado em oração”.

A maior parte dos participantes dos encontros eram fiéis casados e cooperadores, que partilharam com Mons. Ocáriz as suas alegrias, histórias e também as dificuldades que enfrentam, especialmente da época de pandemia, como doenças ou situações familiares complicadas.

O Prelado destacou a necessidade de que cada circunstância da nossa vida seja “impregnada de alegria” também nas dificuldades, porque “podemos ser felizes com a fé”, independentemente das circunstâncias. A fé, acrescentou Mons. Ocáriz, “traz alegria, aconteça o que acontecer, por causa do amor de Deus por nós”. Além disso, isto “é uma ajuda para nos entregarmos aos outros e esquecermos de nós mesmos”.

Numa das reuniões, Sara, de 29 anos, explicou que acabava de voltar a Lugano, a sua cidade natal, de Madrid, onde conheceu e encontrou a vocação para o Opus Dei. Perguntou como poderia manter viva e constante a sua união com o Senhor, e apoiar a sua família num ambiente de pouca fé. Mons. Ocáriz animou-a a procurar a presença de Deus, especialmente na Eucaristia e na oração, onde encontramos a força para enfrentar as dificuldades, também em ambientes diferentes.

Galà, uma russa que mora em Zurique, contou que está a tentar aproximar as suas amigas da fé. “Uma missão de todo o cristão é ajudar as pessoas a abrir o coração a Deus, fortalecendo os laços de amizade, ouvindo realmente cada um”. Também a animou a sustentar o seu impulso evangélico com a oração, que “é o principal meio de apostolado”.

Uma cooperadora do Opus Dei ofereceu ao Prelado um saco de farinha do moinho que o seu filho administra, que fornece este alimento para produzir as hóstias utilizadas em algumas das igrejas do país e nos centros da Obra.

Mons. Ocáriz cumprimentou alguns doentes e teve uma conversa por videoconferência com uma senhora que celebrou o seu 91.º aniversário. Pediu-lhe orações pelo Papa Francisco e pelos frutos da sua viagem pastoral. Também rezou durante uns momentos diante do túmulo de Toni Zweifel, um engenheiro suíço que faleceu com fama de santidade.