Carta do Prelado sobre a beatificação de Guadalupe Ortiz de Landázuri

Mons. Fernando Ocáriz escreveu uma carta por ocasião da beatificação da fiel do Opus Dei: “Uma vida a serviço de Deus e dos outros, também dos mais necessitados, pode ser repleta de alegria e sentido”, diz.

Cartas pastorais e mensagens
Opus Dei - Carta do Prelado sobre a beatificação de Guadalupe Ortiz de Landázuri

Queridíssimos: que Jesus guarde as minhas filhas e os meus filhos!

Tenho a alegria de comunicar que hoje recebi a confirmação de que o Santo Padre Francisco estabeleceu que a cerimónia de beatificação de Guadalupe Ortiz de Landázuri será em Madrid, no sábado, 18 de maio de 2019.

Os detalhes da celebração serão concretizados posteriormente, mas a notícia já nos enche de gratidão a Deus e ao Santo Padre. Convido a todos a unir-se à minha petição à Guadalupe pelas intenções do Papa, especialmente pelos trabalhos dos Padres Sinodais reunidos em Roma nestes dias para falar sobre "Os jovens, a fé e o discernimento vocacional".

Precisamente este evento eclesial destaca como uma vida de serviço a Deus e aos outros, também dos mais necessitados, pode estar cheia alegria e significado, como vemos na existência da futura bem-aventurada. Guadalupe soube encontrar Deus no desempenho diário do seu trabalho científico e educacional, nas várias tarefas de formação e de governo que São Josemaria lhe confiou, e na doença, recebida com grande espírito cristão.

As pessoas que a conheceram destacam a sua alegria e bom humor – enraizados na consciência de saber-se filha de Deus – juntamente com uma determinação e iniciativa que criou nela um coração universal. O seu exemplo é reflexo de como o “Senhor pede tudo e, em troca, oferece a vida verdadeira, a felicidade para a qual fomos criados. Quer-nos santos e espera que não nos resignemos com uma vida medíocre, superficial e indecisa” (Gaudete et Exsultate, n.1).

Considero uma coincidência providencial que a beatificação aconteça no aniversário da Primeira Comunhão da Guadalupe. Este facto lembra-nos que “colocar Jesus Cristo no centro da nossa vida significa penetrar mais na oração contemplativa no meio do mundo, e ajudar os outros a irem por caminhos de contemplação” (Carta Pastoral, 14-II-2017).

Guadalupe será a primeira fiel leiga do Opus Dei a ser elevada aos altares. Será uma confirmação do caminho que o Senhor fez ver a S. Josemaria em 2 de outubro de 1928, há 90 anos, como acabamos de celebrar.

Com todo o afeto, abençoa-vos o Padre,

Roma, 26 de outubro de 2018