Para que serve a liturgia?

A liturgia é um acrescento feito pelo homem, ou tem que ver com Deus? O próprio Jesus escolheu integrar as suas palavras e as suas ações inseridas numa liturgia.

Para saber como ativar legendas em português, clique aqui.

“Deus fala-nos de modo humano”: o Senhor põe-se à nossa disposição para se fazer entender melhor por nós. E faz isso por meio da liturgia, que não é um mero conjunto de ritos superficiais, mas um modo de entrar em relação com Deus.

Meditar sobre a Missa com o Papa Francisco

O pedido do apóstolo São Tomé (cf. Jo 20, 25), para poder ver e tocar as chagas dos pregos no corpo de Jesus, é o desejo de poder de alguma forma “tocar” Deus para acreditar nele. O que São Tomé pede ao Senhor é aquilo de que todos nós precisamos: vê-lo e tocar nele para o poder reconhecer. Os Sacramentos vêm ao encontro desta exigência humana. Os Sacramentos, e a celebração eucarística de maneira especial, são os sinais do amor de Deus, os caminhos privilegiados para nos encontrarmos com Ele.

(Catequeses do Papa Francisco sobre a Santa Missa, 8/11/2017)

A Missa no Catecismo da Igreja Católica

688. A Igreja, comunhão viva na fé dos Apóstolos que ela transmite, é o lugar do nosso conhecimento do Espírito Santo:

— Nas Escrituras, que Ele inspirou:
— na Tradição, de que os Padres da Igreja são testemunhas sempre atuais;
— no Magistério da Igreja, que Ele assiste;
— na liturgia sacramental, através das suas palavras e dos seus símbolos, em que o Espírito Santo nos põe em comunhão com Cristo;
— na oração, em que Ele intercede por nós;
— nos carismas e ministérios, pelos quais a Igreja é edificada;
— nos sinais de vida apostólica e missionária;
— no testemunho dos santos, nos quais Ele manifesta a sua santidade e continua a obra da salvação.

S. Josemaria e a Missa

Ora é indispensável ter com Ele familiaridade e confiança, cheia de simplicidade como nos ensina a Igreja através da Liturgia. Assim conheceremos melhor Nosso Senhor e ao mesmo tempo compreenderemos melhor o imenso dom que significa ser cristão; veremos como é grande e verdadeiro o "endeusamento", a participação na vida divina a que atrás me referi.

(S. Josemaria, Cristo que passa, n. 134)