A Igreja em África, fermento de unidade

Em maio, o Papa Francisco agradece às religiosas, sacerdotes, leigos e missionários pelo seu trabalho a favor do diálogo e da reconciliação entre os diversos setores da sociedade africana.

Da Igreja e do Papa

As divisões étnicas, linguísticas e tribais de África podem ser superadas promovendo a unidade na diversidade. Quero agradecer às religiosas, aos sacerdotes, aos leigos e missionários pelo seu trabalho em favor do diálogo e da reconciliação entre os diversos setores da sociedade africana.

Rezemos neste mês para que, por meio do empenho dos próprios membros, a Igreja em África seja fermento de unidade entre os povos e sinal de esperança para este continente.


As intenções são confiadas mensalmente à Rede Mundial de Oração pelo Papa, com o objetivo de difundir e consciencializar sobre a imperiosa necessidade de rezar por elas e atuar nesse sentido. Intenções mensais anteriores