Lisboa: ir de férias com história e música sobre S. Josemaria

​Para muitos alunos das escolas portuguesas as aulas terminam no dia 26 de junho. Também no Colégio Mira Rio em Lisboa, onde o P. Pedro (capelão) dá a conhecer S. Josemaria de forma original.

Opus Dei - Lisboa: ir de férias com história e música sobre S. Josemaria

Pe. Pedro: Quando há uns anos fui capelão da pré-escolar do Colégio Cedros e Horizonte quis falar de S. Josemaria àquelas crianças. Mas, como explicaria eu quem era aquele santo? Valeria a pena falar da mensagem que nos trouxe? Iriam entender alguma coisa?

Surgiu-me, então, a ideia de fazer uma canção. Sabia o efeito que as canções tinham sobre as crianças. Tinha feito duas canções para eles e, tanto eles como as educadoras, tinham gostado. Assim, decidi tentar a sorte. Tinha de ser uma música alegre e a letra tinha de falar das coisas que as crianças vivem diariamente. Achei graça verificar que a ideia de santificação do trabalho também se aplica a estas idades: «Correr e saltar, estudar a lição, rir e trabalhar, tudo é oração». À medida que a letra ia surgindo, ia-me dando conta de que a diferença de nós para eles é bem pequena, afinal, diante de Deus somos como crianças, como nos recordou, muitas vezes, S. Josemaria.

Ouça aqui a música:

Beatriz: Durante as primeiras semanas da quarentena o Pe. Pedro fez-nos um desafio: gravar umas canções que ele tinha feito para crianças. Ficámos entusiasmadas e, especialmente com a «Canção de S. Josemaria». Não sei… se calhar porque cá em casa sempre tivemos muita devoção a S. Josemaria e a canção é muito alegre e, a mim, recorda-me o seu sorriso, a sua alegria, como se vê nos seus vídeos.

A duas vozes: a Beatriz e a Maria interpretam a música de S. Josemaria

Maria: A Beatriz ouviu várias vezes a música e descobriu quais eram os acordes. É uma canção muito simples e, por isso, foi fácil. Depois, começámos a cantar e inventámos uma segunda voz. Foi muito giro! Agora, ao pensar nisso, lembro-me de que estávamos no início da pandemia, ninguém saía de casa e havia tanto medo no ar… E nós a cantarolar estas canções! 😊

Acho que a presença de S. Josemaria, também através da gravação desta canção, nos ajudou a viver esses momentos.

O P. Pedro Boléo Tomé com algumas alunas do Colégio Mira Rio

Pe. Pedro: Na festa de S. Josemaria, fui convidado a «entrar» numa aula online do 2º ano do Colégio Mira Rio. Lembrei-me de fazer uma coisa que fiz nos anos anteriores: uma história sobre as férias «a la carte». Ou seja, que fizessem uma lista de coisas que queriam que entrasse na narrativa. A lista que recebi foi a seguinte: Gelado/ felicidade/ acampamento/ praia/ surfar/ arte/ diversão/ piscina/ pintar/ javali/ religioso/ colégio/ estudar.

Como tinham ouvido a «Canção de S. Josemaria», lembrei-me de construir tudo à volta dessa canção e das férias, que era o tema. E o que saiu foi o seguinte:


As férias da Xini

Xini estava quase a terminar as aulas. Tinha sido um ano muito diferente dos outros. Aulas on-line, só via as colegas no ecrã do computador, os pais estavam cansados e preocupados… E agora? Será que vamos poder ter férias?

A professora de Religião tinha mostrado um vídeo com uma canção de S. Josemaria. Ela gostava muito de ir à capela e, muitas vezes, ficava a olhar para aquele quadro enorme de S. Josemaria a sorrir e a conversar com várias meninas. Parece que lhes pergunta:

- Então o que é que me contas?

Por isso, Xini, depois de olhar para o quadro, respondia sempre com aquilo que tinha no pensamento.

Hoje, ao recordar essas conversas, fez o mesmo e desabafou:

- Olha, S. Josemaria, queria dizer-te que estou preocupada! Queria tanto ir de férias! Estou cansada de estudar e de estar aqui fechada em casa!

Xini sentiu-se bem por poder deitar aquilo cá para fora e ficou com vontade de voltar a olhar para aquela imagem de S. Josemaria e rezar como rezava quando ia à capela do Colégio.

Que saudades tinha do Colégio! Que saudades de brincar no recreio com as amigas, de as abraçar, de rirem das coisas divertidas e de estudarem juntas nas aulas!... E também de ir à capela fazer companhia a Jesus; contar coisas à Sua Mãe; olhar para a sua imagem na Cruz e recordar o que ele disse:

- Tens ali a tua Mãe!

Então, Xini, olhava com carinho para a imagem de Nossa Senhora e dizia-lhe:

- Vês? Foi Jesus que disse! Tens de ser muito querida para mim! És a minha Mãe do Céu!

Mas, depois, olhava para aquele quadro enorme e sentia os olhos simpáticos de S. Josemaria a olharem para ela. Xini percebia que no Céu gostavam destas brincadeiras e sorriam para ela porque Jesus e Maria estavam muito felizes com aquelas conversas.

- Mãe! Posso pôr o vídeo da «Canção de S. Josemaria»? – gritou a Xini.

A mãe disse que sim e ela clicou no canal do Youtube.

«S. Josemaria eu quero rezar

Enquanto estiver lá fora a brincar…»

Ah, que vontade de sair e correr e gritar e saltar!!! Que vontade de fazer como aqueles meninos que apareciam naquele vídeo. Vê-se que estão mesmo contentes! E estão agradecidos por isso! Xini lembrou-se, então, das últimas férias. Tinha feito uma viagem enorme, apanharam vários aviões, tinha visto umas praias de sonho e chegou até a ver golfinhos a saltar ao lado de um barquinho que o pai alugara.

- S. Josemaria, eu nunca me lembrei de agradecer a Deus aquelas férias! Fiquei contente, mas não disse nada a Jesus! Desculpa! Diz a Jesus que, agora, se ele me der umas férias giras, eu prometo lembrar-me dele e vou dizer milhares de vezes «obrigada, Jesus!».

Xini lembrou-se da conversa dos pais do dia anterior. Parece que não havia condições para viagens grandes. Para mais, estando a mãe à espera de gémeos! Sim, tinham de ficar por Portugal. A mãe sugeriu que fossem passar uns dias à aldeia dos avós. A Xini lembrou-se das histórias do avô. Contava as suas caçadas ao javali e tinha prometido à neta que a levava a acampar no meio da serra. Aquilo dava-lhe medo, mas entusiasmava-a também.

- S. Josemaria, pensar nas férias parece que me ajuda a rezar ainda mais! – exclamou a menina enquanto olhava para o ecrã e via uma série de meninos a dançar enquanto se ouvia:

«Correr e saltar

Estudar a lição

Rir e trabalhar

Tudo é oração»

- Gosto tanto de saber que Jesus olha para nós sempre! E que posso estar sempre a falar com ele, quando estou nas aulas e quando estou a brincar!

Xini deu um pulo de felicidade e começou a bailar.

- Nas férias vou estar sempre a falar contigo, Jesus!

A mãe, espreitou curiosa para saber o que a menina estava a fazer.

- Sabes que o teu avô ficou mesmo contente por saber que íamos passar lá uns dias? E já começou a limpar o tanque de rega.

Xini deu novo pulo de felicidade. O «tanque», quando se limpava, ficava com água cristalina, muito fria, sim, mas ótima para dar uns mergulhos e para nadar. E, por vezes, via-se algum peixinho pequenino. Ela gostava imenso.

- Mãe, acha que a avó me pode ensinar a pintar?

A mãe sorriu e olhou-a com carinho. Piscou-lhe o olho e disse:

- Porque não lhe pedes? Vai ficar contente. Olha, escreve-lhe a pedir isso. Assim, ela compra o material para pintarem as duas. Vai ficar toda orgulhosa de saber que a sua neta é uma apreciadora de arte.

Xini imaginou os mergulhos que ia dar no tanque e a figura da avó, ao longe, a pintar a bela paisagem que se via do jardim. E imaginou-se também, diante do cavalete, a pintar com tintas aqueles lugares tão bonitos.

«Quando hoje nas aulas

Estiver a pintar

É ao Deus menino

Que eu quero agradar»

- Que giro, Jesus, que fiques contente com as coisas que nós fazemos! É tão bom saber isso! E saber que ficas contente por eu estar contente por ir para a casa dos avós!

Xini recordou, de novo a casa dos avós, aqueles montes, os animais da quinta e a Clotilde que era uma excelente cozinheira e que até lhe prometera ensinar a fazer gelados italianos. Sim, daqueles como os das geladarias. Quando era nova, a Clotilde tinha trabalhado numa geladaria de uma grande cidade e tinha ainda uma grande paixão por gelados. Inventava sabores e tudo! Xini estava desejosa de poder passar umas horas com ela e aprender aquelas receitas maravilhosas.

- E pensar que, há uns meses, tinha dito que as minhas férias só iriam ser giras se a mãe me levasse a um sítio onde eu pudesse aprender a surfar!