Escrivá de Balaguer canonizado

O fundador do Opus Dei, Josemaría Escrivá de Balaguer, o padre Pio da Pietralcina e o índio mexicano Juan Diego têm o caminho aberto à canonização. O Papa João Paulo II assinou quinta-feira os decretos da Congregação para as Causas dos Santos que reconhecem curas milagrosas, depois da morte, aos novos candidatos a santos. A congregação reconheceu que o médico espanhol Manuel Nevado Rey, vítima de radiodermite, ficou curado depois de ter recorrido à intercessão de Josemaría Escrivá, beatificado em 1992.

A radiodermite, que afecta as pessoas muito expostas às radiações dos aparelhos de Raios X, acaba por degenerar em cancro de pele e não tem cura. Depois de ter recebido de um engenheiro uma pagela do fundador do Opus Dei e de ter rezado pela sua cura, as mãos foram melhorando e ao fim de 15 dias as lesões desapareceram. Pouco depois, Manuel Nevado recomeçou o seu trabalho de cirurgião. O beato Josemaría Escrivá nasceu em 1902 e morreu em 1975. Foi o fundador de uma organização que tem hoje cerca de 80 mil membros, sobretudo leigos.