Decenário ao Espírito Santo

O Decenário ao Espírito Santo é um costume cristão por meio do qual a Igreja anima os fiéis a preparar o melhor possível a vinda do Espírito Santo no Pentecostes.

O Decenário do Espírito Santo é um antigo costume com o qual a Igreja anima os fiéis a preparar o melhor possível a vinda do Espírito Santo no dia de Pentecostes, sete semanas depois da Ressurreição de Jesus.


- O Grande Desconhecido - homilia de S. Josemaria em áudio

- Meditação (30 min) sobre o Espírito Santo com o P. José Maria Moreira

- Quem é o Espírito Santo? - Quem é o Espírito Santo? Como foi a vinda do Espírito Santo?Como atua na vida do cristão? Que são os dons do Espírito Santo?

- Creio no Espírito Santo. Creio na Santa Igreja Católica - Resumo da fé cristã sobre o Espírito Santo;

- Orações ao Espírito Santo compostas por S. Josemaria. Ver também a Consagração ao Espírito Santo que fez em 1971

- Novos Mediterrâneos (4): "Não fale: ouça-o"

- Vida de Maria: A vinda do Espírito Santo

- Jerusalém: na intimidade do Cenáculo


O fundador do Opus Dei descreve assim este momento da história da Igreja: “Relembremos agora os dias que se seguiram à Ascensão, na expectativa do Pentecostes. Os discípulos, cheios de fé pelo triunfo de Cristo ressuscitado, e ansiosos ante a promessa do Espírito Santo, querem sentir-se unidos, e vamos encontrá-los cum Maria, Matre Iesu, com Maria, a Mãe de Jesus. A oração dos discípulos acompanha a oração de Maria; era a oração de uma família unida”. (Cristo que passa, n. 141).

AMIZADE COM O ESPÍRITO SANTO. VIVER SEGUNDO O ESPÍRITO SANTO É VIVER DE FÉ, DE ESPERANÇA, DE CARIDADE: É DEIXAR QUE DEUS TOME POSSE DE NÓS E MUDE PELA RAIZ OS NOSSOS CORAÇÕES, PARA OS MOLDAR À SUA MEDIDA.

D. Álvaro del Portillo conta que “precisamente porque a Terceira Pessoa da Trindade é menos invocada, o nosso Padre tinha uma devoção especial. Não tenho dúvida em afirmar que o Padre foi, na sua pregação, um grande arauto da Terceira Pessoa da Santíssima Trindade”. “Contou-me muitas vezes que, desde 1926 ou 1927, tinha vivido com muita intensidade a devoção à Terceira Pessoa da Santíssima Trindade. Fazia todos os anos o Decenário do Espírito Santo, utilizando o livro de Francisca Javiera del Valle. Em abril de 1934 compôs uma oração ao Paráclito que entregou, manuscrita, a Ricardo Fernández Vallespín, então diretor da Residência do Opus Dei”.