A biografia de “um trabalhador esforçado”

Foi apresentada recentemente a biografia de Isidoro Zorzano na paróquia de Santo Alberto Magno, onde repousam os seus restos mortais. O autor, Enrique Muñiz, esteve acompanhado pelo postulador da causa de canonização, José Carlos Martín de la Hoz.

Europa Press O livro 'Isidoro 100%' recorda a vida de Isidoro Zorzano, engenheiro industrial em processo de canonização


O livro 'Isidoro 100%' recorda a vida de Isidoro Zorzano, engenheiro industrial em processo de canonização, nascido em Buenos Aires e que fez parte do Opus Dei depois de reencontrar em Madrid o seu colega de estudos secundário em Logronho, S. Josemaria Escrivá.

O livro foi apresentado na paróquia de Santo Alberto Magno, em Vallecas, onde repousam os seus restos mortais.

Enrique Muñiz, autor da biografia, definiu Zorzano como «um trabalhador esforçado e firme perante as dificuldades, muito atencioso, valente, que viveu a sua vocação cristã com radicalidade».

Muñiz destacou o trabalho evangelizador do servo de Deus e a sua preocupação pelos outros, no decurso do seu trabalho em Matagorda (Cádiz), na Compañía de los Ferrocarriles Andaluces em Málaga e na Compañía Nacional de Ferrocarriles del Oeste, em Madrid.

Obras assistenciais de Isidoro Zorzano

Entre outras obras assistenciais, deu aulas a crianças pobres nalgumas escolas conduzidas pelas religiosas Adoradoras e pelo Padre José Manuel Aicardo, da Companhia de Jesus. Muñiz explica depois da sua investigação que «era amigo, gentil, educado, muito atencioso, excelente engenheiro, simples, humilde tendo revelado na sua doença o valente heroísmo com o qual viveu toda a sua vida». Em 1942, diagnosticaram-lhe uma linfogranulomatose maligna.

Por seu lado, o diretor do Departamento para as Causas dos Santos da prelatura do Opus Dei, José Carlos Martín de la Hoz, destacou o «seu sentido de justiça e a sua proximidade com os operários que trabalhavam sob a sua direção».

Além disso, referiu que «durante a guerra civil socorreu muitas pessoas não apenas espiritualmente, mas também dando provisões e alimentos que conseguia com grande sacrifício, renunciando em larga medida ao que era seu».

Em 2009, os seus restos mortais foram trasladados para a paróquia de Santo Alberto Magno de Madrid, onde repousam atualmente.

No dia 21 de dezembro de 2016, o Papa Francisco, com o voto favorável da Congregação para as Causas dos Santos, autorizou que se publicasse o decreto pelo qual se declarava "venerável" Isidoro Zorzano.

Europa Press