7. Com que espécie de pessoas S. Josemaria se relacionava nos começos do Opus Dei?

Acompanhava como sacerdote muitas pessoas de diversos ambientes sociais. Dedicou as melhores horas da sua juventude - como capelão do Patronato de Doentes das Damas Apostólicas - ao cuidado de numerosos doentes e crianças necessitadas, dos bairros pobres de Madrid.

“O seu cargo - explicava Asunción Muñoz no seu testemunho para a Causa de Canonização de Josemaria Escrivá – não o obrigava a atender a extraordinária atividade desenvolvida a partir do Patronato entre os pobres e doentes do Madrid de então. Contudo, o Padre Josemaria aproveitou a circunstância da sua nomeação como Capelão para se entregar, generosa, sacrificada e desinteressadamente a um ingente número de pobres e doentes que se colocavam ao alcance do seu coração sacerdotal” (VÁZQUEZ DE PRADA, A., Josemaria Escrivá. Fundador do Opus Dei, Vol. I: Senhor, que eu veja!, Editorial Verbo, Lisboa 2002, p. 241).

Atendeu pessoas necessitadas que viviam mal em bairros de lata ou nas populares “corralas” dos chamados “bairros baixos” de Madrid, e também centenas de doentes, muitos deles sem esperança de cura, nos hospitais.

Lembra José Ramón Herrero Fontana: “Guardo esta imagem gravada na alma: o Padre, ajoelhado ao pé de um doente esticado num pobre colchão sobre o chão, animando-o e dizendo-lhe palavras de esperança e ânimo... Esta imagem não se me apaga da memória: o Padre, junto à cabeceira daqueles moribundos, consolando-os e falando-lhes de Deus... Uma imagem que reflecte e resume o que foram aqueles anos da sua vida” (CEJAS, J.M., José María Somoano en los comienzos del Opus Dei, Rialp, Madrid 1995, p. 96).

—Cfr. GONZÁLEZ SIMANCAS Y LACASA, J., San Josemaría entre los enfermos de Madrid (1927-1931), em «STUDIA ET DOCUMENTA», Rivista dell´Istituto Storico San Josemaría Escrivá, vol. 2 (2008), Roma, págs. 147-203.

Ao mesmo tempo acompanhava muitas outras pessoas: alunos e professores universitários, operários, dependentes do comercio, artistas, etc.

A sua pregação foi sempre sacerdotal. Isso surpreendia muitos naquele ambiente tão propenso a misturar as questões políticas e religiosas. S. Josemaria era publicamente conhecido como um sacerdote que só falava de Deus, alentando ao perdão e à compreensão mútua. Movia a trabalhar lado a lado na construção de ideais nobres, também junto de pessoas que pensavam de maneira diferente. Esta disposição do Padre tornava ainda mais atractiva a sua pregação.