Evangelho da quinta-feira: uma mudança de perspectiva

Quinta-feira da segunda semana da Páscoa. “Aquele que vem do alto está acima de todos”. Jesus Cristo pregado na Cruz dá-nos a perspectiva necessária para que todas as nossas obras reflitam o amor do Pai por cada um.

Opus Dei - Evangelho da quinta-feira: uma mudança de perspectiva

Evangelho (Jo 3,31-36)

Aquele que vem do alto está acima de todos. O que é da terra, pertence à terra e fala das coisas da terra. Aquele que vem do céu está acima de todos.

Dá testemunho daquilo que viu e ouviu, mas ninguém aceita o seu testemunho. Quem aceita o seu testemunho atesta que Deus é verdadeiro.

De fato, aquele que Deus enviou fala as palavras de Deus, porque Deus lhe dá o espírito sem medida.

O Pai ama o Filho e entregou tudo em sua mão. Aquele que acredita no Filho possui a vida eterna. Aquele, porém, que rejeita o Filho não verá a vida, pois a ira de Deus permanece sobre ele.


Comentário

Nesta passagem, através de São João Batista nos é dado um resumo da revelação de Jesus, através do testemunho do Espírito.

O tema principal é a relação entre o Pai e o Filho e o testemunho tão especial que “aquele que vem do Alto”, Cristo, nos oferece do Pai.

Todos os profetas – também João Batista, como o último deles – deram testemunho da luz, mas não eram a luz (cf. Jo 1,7-8). Jesus Cristo é a luz do mundo, não porque fale as palavras de Deus, mas porque é propriamente a Palavra de Deus.

Ganhar altura implica alcançar uma maior perspectiva. A superioridade de Jesus é a de quem está no alto, de quem vem do céu e viu as coisas como realmente são.

Há uns dias, durante a Semana Santa, contemplamos Jesus pendurado na madeira no Calvário, um lugar elevado. Dessa altura, teria mais perspectiva que os que estavam em baixo.

Por isso, muitas vezes os que sofrem entendem a vida de uma maneira mais profunda. Quem está pregado numa cruz tem a oportunidade de observar a realidade como Deus a olha do céu. Mas isso sempre depende de aceitar ou rejeitar esta cruz.

Às vezes é difícil de aceitar, mas a superioridade de que Jesus fala não se consegue dominando, mas carregando a nossa cruz até o nosso calvário pessoal. Acreditar no Filho de Deus significa segui-l’O até ao fim.

“Se alguém quiser vir após mim, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me. (Mc 8,34). Neste seguimento de Cristo, apostamos a nossa fé. Por isso, de certa forma, a fé é uma mudança de perspectiva, que não depende tanto de como a vemos nós, mas da altura que deixamos que Cristo alcance no nosso interior.