Evangelho da quarta-feira: Imitar os ninivitas e a Rainha do Sul

Comentário da quarta-feira da 1ª semana da Quaresma. Uma grande multidão se reuniu e começou a dizer: “Esta geração é uma geração má”. Jesus encontra diferentes respostas à sua mensagem de salvação. Há aqueles que acolhem a mensagem com fé, mas há outros que teimosamente se recusam a ouvir.

Opus Dei - Evangelho da quarta-feira: Imitar os ninivitas e a Rainha do Sul

Evangelho (Lc 11, 29-32)

Quando as multidões se reuniram em grande quantidade, Jesus começou a dizer: “Esta geração é uma geração má. Ela busca um sinal, mas nenhum sinal lhe será dado, a não ser o sinal de Jonas. Com efeito, assim como Jonas foi um sinal para os ninivitas, assim também será o Filho do Homem para esta geração. No dia do julgamento, a rainha do Sul se levantará juntamente com os homens desta geração, e os condenará. Porque ela veio de uma terra distante para ouvir a sabedoria de Salomão. E aqui está quem é maior do que Salomão. No dia do julgamento, os ninivitas se levantarão juntamente com esta geração e a condenarão. Porque eles se converteram quando ouviram a pregação de Jonas. E aqui está quem é maior do que Jonas”.


Comentário

Hoje lemos algumas palavras duras do Senhor. Jesus e os discípulos já estão a caminho de Jerusalém. Durante a viagem, muitos acolhem a mensagem do Evangelho com a abertura da fé, mas também há muitos outros que a rejeitam abertamente. É contra estes últimos que se dirigem as palavras do Senhor que ouvimos.

Jesus lembra aos que O ouviam de duas histórias. Por um lado, o de Jonas, filho de Amati (Jonas 1:1). Este personagem do Antigo Testamento cativou a imaginação da piedade popular através dos tempos por causa da fabulosa história do profeta que foi engolido por um grande peixe e depois jogado em terra firme.

Entretanto, não é por isso que Jesus o menciona, mas pelo que aconteceu depois de ter sido jogado pela baleia. Jonas foi enviado a pregar a conversão aos habitantes de Nínive, assim como Jesus estava anunciando o Evangelho aos israelitas. Os ninivitas ouviram o profeta e converteram-se. Faltava ver como os ouvintes reagiriam à mensagem de Jesus e como nós reagiremos.

A segunda história, que se refere à Rainha do Sul (cf. 1 Reis 10:1-13), ressalta a mesma ideia. O primeiro livro dos Reis nos diz que “A rainha de Sabá, tendo ouvido falar - para a glória do Senhor - da fama de Salomão, veio prová-lo com enigmas”. Apesar da sua desconfiança, a Rainha ouve Salomão com uma atitude aberta e reconhece nele a sabedoria que lhe havia sido dada do alto.

O Senhor adverte-nos hoje que precisamos estar vigilantes para reconhecê-lo em diversas circunstâncias. A maneira de Deus se apresentar nem sempre é evidente, mas se soubermos ouvir como os ninivitas e estar atentos como a Rainha do Sul, certamente saberemos reconhecer que estamos diante de Jesus que nos fala.