Evangelho da terça-feira: sal da terra e luz do mundo

Terça-feira da 10ª semana do tempo comum. “Vós sois a luz do mundo”. Deus conta com o testemunho dos cristãos para difundir a boa nova no coração de todas as pessoas.

Opus Dei - Evangelho da terça-feira: sal da terra e luz do mundo

Evangelho (Mt 5, 13-16)

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos:

Vós sois o sal da terra. Ora, se o sal se tornar insosso, com que salgaremos? Ele não servirá para mais nada, senão para ser jogado fora e ser pisado pelos homens. Vós sois a luz do mundo. Não pode ficar escondida uma cidade construída sobre um monte. Ninguém acende uma lâmpada, e a coloca debaixo de uma vasilha, mas sim, num candeeiro, onde brilha para todos que estão na casa. Assim também brilhe a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e louvem o vosso Pai que está nos céus.


Comentário

“Vós sois o sal da terra. Vós sois a luz do mundo”.

Jesus dirige-se às pessoas que O ouvem de um modo compreensível para elas. Utiliza imagens que lhes são muito familiares: o sal e a luz.

O sal preserva os alimentos da corrupção. O Senhor afirma que os seus discípulos devem dar testemunho de Deus neste mundo, refletindo-o na sua vida; tornar o Amor de Deus presente entre os homens através das suas boas obras.

A luz é necessária para viver, para tudo. A luz é colocada num candelabro para iluminar todos os da casa. Assim, o discípulo de Jesus tem de ser luz que mostre aos outros o bom caminho através do seu comportamento.

Diz São Josemaria: “Tal como quer o Mestre, tu tens de ser – bem metido neste mundo, em que nos toca viver, e em todas as atividades dos homens – sal e luz. Luz que ilumina as inteligências e os corações; sal que dá sabor e preserva da corrupção. Por isso, se te faltar ímpeto apostólico, far-te-ás insípido e inútil, lograrás os outros e a tua vida será um absurdo”[1].

Ser sal e luz para que as pessoas possam ver “as vossas boas obras e louvem o vosso Pai que está nos céus”. Deus quer tornar-se presente no mundo através dos cristãos: que eles sejam outros Cristos nos lugares em que desenvolvem a sua vida familiar, a sua vida profissional, etc. Que a sua maneira de se comportarem seja tal que aconteça o que São Josemaria escreveu em Caminho: “Oxalá fossem tais o teu porte e a tua conversação que todos pudessem dizer, ao ver-te ou ouvir-te falar: ‘Este lê a vida de Jesus Cristo’”[2].

Alta é a meta que o Senhor nos propõe. É muito o que o Senhor espera dos cristãos, mas maior é a graça que o Ressuscitado nos dá para que possamos corresponder. O Ressuscitado concede-nos a possibilidade de sermos sal e luz através da oração e dos sacramentos. Deste modo, com o sal e a luz de Cristo vivo, encaminhamos muitas almas para o céu.


[1] São Josemaria, Forja, 22.

[2] São Josemaria, Caminho, 2.