Evangelho de 29 de abril: Deus quer filhos pequenos

Festa de Santa Catarina de Sena. “Escondeste estas coisas aos sábios e entendidos e as revelaste aos pequeninos. Porque assim foi do teu agrado”. Ser pequeno tem mais a ver com um coração que confia em Deus do que com a idade.

Opus Dei - Evangelho de 29 de abril: Deus quer filhos pequenos

Evangelho (Mt 11, 25-30)

Naquele tempo, Jesus pôs-se a dizer: “Eu te louvo, ó Pai, Senhor do céu e da terra, porque escondeste estas coisas aos sábios e entendidos e as revelaste aos pequeninos. Sim, Pai, porque assim foi do teu agrado. Tudo me foi entregue por meu Pai, e ninguém conhece o Filho, senão o Pai, e ninguém conhece o Pai, senão o Filho e aquele a quem o Filho o quiser revelar. Vinde a mim todos vós que estais cansados e fatigados sob o peso dos vossos fardos, e eu vos darei descanso. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração, e vós encontrareis descanso. Pois o meu jugo é suave e o meu fardo é leve.


Comentário

A passagem do Evangelho escolhida pela Igreja para a memória litúrgica de Santa Catarina de Sena é uma das poucas conversas em voz alta entre Jesus e o seu Pai Deus registrada nos Evangelhos.

O Senhor alegra-se pela forma divina de se revelar aos homens, especialmente pelos destinatários desta revelação. As coisas de Deus não são para aqueles que se julgam sábios e prudentes, mas para os pequenos. E ser pequeno tem mais a ver com o coração do que com a idade. É por isso que podemos aprender a ser pequenos, e Jesus acrescenta uma pista para alcançar essa condição: “aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração”. A humildade do coração de Cristo é a chave que abre o tesouro da revelação. A sua mansidão é a verdadeira sabedoria.

Santa Catarina, como muitos santos, entendeu isto. Ela, uma mulher analfabeta que aprendeu a ler sozinha, tornou-se conselheira de príncipes e papas e é hoje Doutora da Igreja. A sua vida profundamente mística foi compatível com um compromisso concreto nas vicissitudes do seu tempo, mesmo na política.

Assim, somente ouvindo a voz de Deus e deixando o Espírito Santo nos transformar, podemos ter impacto na sociedade. “Se tens desejos de ser grande, recomenda São Josemaria, faz-te pequeno. Para ser pequeno, é preciso crer como creem as crianças, amar como amam as crianças, abandonar-se como se abandonam as crianças..., rezar como rezam as crianças” (prólogo de “Santo Rosário”).

Se o Senhor se alegrou com a revelação do seu Pai aos pequenos, ficará mais contente ainda se houver muitos que se tornam pequenos, que acreditam, rezam e se abandonam como crianças pequenas diante do seu Pai Deus.