Um retiro na quarentena

“Se a vida te der um limão, faça uma limonada”... Sim, essa é mais uma “frase feita”, um clichê, mas no Centro Cultural Itaporã, virou motivo, não só de brincadeira, mas de vida durante a quarentena imposta pelo coronavírus.

Opus Dei - Um retiro na quarentena

Foi com essa ideia, que nos lançamos a preparar um retiro online, com a intenção de levar este meio de formação ao maior número de pessoas possível.

A proposta não era deixar um retiro pronto, para que as pessoas o acessassem quando pudessem, mas fazê-lo ao vivo, como são os retiros que o Opus Dei oferece, bem como acompanhar cada participante no fim de semana em que a atividade estivesse acontecendo. Percebemos que com muita disposição e um pouco de entendimento de mídia digital, conseguiríamos efetivar o projeto. E foi o que aconteceu! Os dias 21 e 22 de junho tornaram-se uma data que definitivamente entrou para a nossa história.

Imaginamos que a casa de cada uma das participantes (estudante e jovens profissionais) seria como uma das casas de retiro e propusemos um horário que parecia possível para todas.

Começamos a divulgar e o post circulou pelas mídias digitais... As inscrições foram abertas e, inicialmente foram sendo feitas, em números tímidos... 10, 19, 35... Estávamos muito felizes, afinal de contas, cada pessoa é única e dava alegria pensar que poderíamos oferecer um conteúdo de formação neste momento de pandemia...

Mas, de repente, na véspera do retiro começar, eis que recebemos muitas confirmações: 66, 70, 92… Nossa, será que teremos que arcar com um custo adicional para uma plataforma? Isso não seria um problema, mas uma solução, quando ao encerrarem-se as inscrições, contabilizamos mais de 150 inscritas.

A maioria das participantes, inicialmente, vinha do Rio de Janeiro e de Minas Gerais. Depois, fizemos uma parceria com um centro de São Paulo. Ao final, havia pessoas de vários Estados de quase todas as cinco regiões do Brasil, que souberam da proposta enviada por conhecidas ou amigas via internet.

Para ajudar na preparação e criar um ambiente como o dos retiros “tradicionais”, abrimos um grupo de whatsapp onde todas as participantes iam recebendo as informações sobre os próximos passos do retiro. Como conteúdo essencial, foi enviado um ebook, que servia de guia para que cada uma fizesse o retiro. As participantes além de consultarem o cronograma e acessarem orientações sobre o horário, o local e estratégias para manter o silêncio, também receberam algumas orações essenciais: guia para rezar o terço, via sacra e links que permitiam acesso a livros espirituais.

Já estava tudo pronto e agora era só começar!

Na sexta-feira feira anterior, fizemos uma reunião virtual, para explicarmos melhor como seria a atividade e aproveitamos para explicar algumas ideias básicas sobre o Opus Dei, já que para muitas esse era o primeiro contato direto com a Obra.

Dia 20, às 16h, foi dada a largada... já com emoção! Na primeira meditação, houve algumas falhas técnicas no som, o que nos fez ter mais empenho em acertar os detalhes e colocar mais meios para que todas pudessem usufruir da melhor forma possível de toda a pregação.

Fomos vendo como todas conseguiram mergulhar no clima do retiro: foram surgindo perguntas e procuramos ir solucionando, ao longo das horas seguintes foi impactante ver o número de acessos durante a transmissão das imagens do Sacrário do Centro Cultural Itaporã. Havíamos preparado mensagens com sugestões de como aproveitar cada intervalo e fomos enviando.

E assim transcorreram essas 52 horas de retiro. Algumas das participantes deixaram registradas suas impressões, como Thaise, que mora em Salvador e se uniu virtualmente ao retiro no Rio de Janeiro:

“Gostaria de agradecer imensamente pelo retiro, não tenho palavras para agradecer, foi incrível! Que Deus abençoe todas as envolvidas! Meu contato com o Opus Dei é pelo recolhimento mensal que acontece em Salvador, quando estava tentando ser uma moça frequente, veio a pandemia e com ela muitas coisas aconteceram na minha vida...Inclusive eu comecei a seguir o IG para acompanhar o recolhimento de abril.

O retiro acabou, e saio grata a Deus pela oportunidade de ter participado, foi muito importante vivê-lo nesse momento da minha vida! Agora é lutar todo dia para colocar os propósitos em ação e deixar rastro! Mais uma vez, meus sinceros agradecimentos!”

Tivemos a alegria de receber também o relato de Kelly, que é evangélica:

“Estou participando do retiro online. Não sou católica, nascida e criada em berço evangélico. E no último ano tenho lido um pouco de autores católicos, desde que ganhei o livro Caminho de São Josemaria Escrivá. Tenho interesse em fazer direção espiritual...”.

E seguimos preparando as fases posteriores de retorno para que ao seu tempo, o Centro Cultural Itaporã volte a acolher todas aquelas que queiram receber a formação presencial. Muitas limonadas continuamos a fazer e a aprender nesse tempo de quarentena ...