O Prelado no Canadá: Com alegria somos capazes de ter um coração aberto

Relato dos dias de mons. Fernando Ocáriz em Toronto, uma das etapas da sua viagem pastoral ao Canadá.

Opus Dei - O Prelado no Canadá: Com alegria somos capazes de ter um coração aberto

12 e 13 de Agosto (Toronto)

Depois dos dias passados em Vancouver, o prelado desembarcou no Aeroporto Internacional Pearson de Toronto, no final da tarde do dia 12 de agosto, segunda-feira. Algumas famílias estavam à sua espera, entre elas a de Daniel e Magda com os seus seis filhos e um cartaz de boas-vindas representando a Torre CN, o edifício mais alto do Canadá. Mons. Ocáriz ficou hospedado em Wilson Heights, um dos centros da prelazia na cidade, onde muitas pessoas de Toronto recebem formação cristã.

No dia seguinte, o prelado visitou Ernescliff College, uma residência universitária localizada no campus da Universidade de Toronto, para um encontro com estudantes e jovens profissionais. Falou sobre a importância da formação cristã, que "não significa receber informação sobre conceitos, ideias e valores abstratos, mas deixar-se modelar por Jesus Cristo, procurar nos identificarmos com Jesus". Referindo-se aos desafios que podem surgir em nossa vocação cristã, explicou que "quanto maiores as dificuldades, com mais graça de Deus podemos contar, pois Ele está ao nosso lado para nos ajudar".

O Padre foi a Kintore College uma bela residência universitária que começou em 2012 e acolhe uma grande variedade de atividades para mulheres de todas as idades. Ali, teve um encontro com muitas pessoas da Obra, familiares e amigos. Entre piadas, cantos, histórias pessoais e até mesmo algum truque de mágica, Mons. Ocáriz destacou os benefícios de estar contentes em todos os momentos: "A alegria nos permite ter um coração aberto e estar melhor equipados para enfrentar os desafios e dificuldades da vida diária”.

Depois do almoço, o prelado visitou Hawthorn School, a única escola independente de inspiração católica para meninas da cidade de Toronto. Fundada há 30 anos, Hawthorn School oferece educação infantil e é reconhecida pela excelência na educação primária e secundária. Mons. Ocáriz reuniu-se com a equipe de direção e o pessoal da escola e encorajou-os em seu trabalho pela educação da mulher. Depois teve um encontro com estudantes do ensino médio e universitárias.

À tarde, cerca de 200 pessoas receberam o prelado no Fairview Library Theatre de Toronto, e tiveram uma animada tertúlia sobre temas como o valor do trabalho, o sentido da dor, a missão apostólica dos cristãos ou o valor evangelizador da alegria.

Domingo, 11 de Agosto

O prelado viajou ao norte de Vancouver para conhecer Copper Ridge Conference Centre, uma casa de retiros e atividades formativas localizada em Howe Sound, que ainda está em construção. Pôde contemplar o retábulo e os vitrais que ficarão na futura capela deste centro. Mais tarde abençoou a última pedra do projeto, que consiste em dois baixos-relevos de São Josemaria e do Bem-Aventurado Álvaro, que também serão colocados no oratório.

Mons. Ocáriz encontrou algumas das pessoas que contribuíram generosamente para que este centro se tornasse uma realidade. O Prelado recordou a sua viagem a Howe Sound em Setembro de 2006, acompanhando a Dom Javier Echevarría. Naquela ocasião, Dom Javier abençoou o terreno estando numa enorme rocha a poucos metros de distância. As primeiras atividades da casa de retiros estão agendadas para o início de 2020. O prelado animou os promotores a explicar a influência positiva que este centro terá na população local, na província e em todo o país. Ao regressar a Vancouver, Mons. Ocáriz recebeu uma série de famílias que vieram de todo o Lower Mainland para cumprimentá-lo.

Sábado, 10 de agosto

Durante a tertúlia, Teresa recordou o falecimento de uma supernumerária do Opus Dei, ocorrido recentemente, destacando a sua generosidade e o seu exemplo de alegria na doença.

Minette contou a Mons. Ocáriz que às vezes aprende com os filhos mais novos. Sua filha de cinco anos comentou em casa que não podia perdoar um amigo do jardim de infância, e o irmão de sete anos respondeu: “Você tem que perdoar até setenta vezes sete”. Quando a mãe perguntou se ele sabia o que isso significava, respondeu que ainda não tinha aprendido a tabuada de multiplicação na escola.

Nicole, diretora de recursos educativos do sistema escolar católico de Vancouver, pediu conselhos sobre como orientar as gerações mais jovens no uso adequado da liberdade. O prelado explicou que a liberdade é a capacidade não só de escolher, mas de escolher o bem, e ao fazê-lo, “estamos tocando a própria essência da liberdade, que é amar”.

Mais tarde, o prelado visitou alguns doentes. Falou durante algum tempo com Zeny, que é cega e paralítica. Chichi, sofre de uma doença grave, e o Prelado expressou a gratidão pelo que tinha feito pelo Opus Dei no país. Também visitou Sandra, que tem câncer terminal.

Durante outro encontro no Vancouver College, Mons. Ocáriz recordou o lema do Canadá (“A mari usque ad mare”, de mar a mar) para encorajar o trabalho evangelizador dos fiéis do Opus Dei naquela nação, como o seu antecessor, Dom Javier Echevarría, tinha feito durante a sua visita ao país há 13 anos.

Joe estava em Toronto em 1988, quando o Bem-Aventurado Álvaro del Portillo visitou o Canadá e perguntou-lhe sobre a início do trabalho do Opus Dei a Vancouver. Ele tinha participado do primeiro recolhimento organizado na cidade em 1984 e viu essa semente crescer em muitos lugares do Lower Mainland. Perguntou ao Padre como os supernumerários podem manter o crescimento dinâmico da Obra da forma como o nosso Padre imaginou nos anos 50. O prelado explicou que a Obra são as pessoas e que, para que o Opus Dei seja dinâmico, “as pessoas também precisam ser dinâmicas, com um dinamismo que se fundamenta na união com Jesus Cristo”. Encorajou todos a pensarem que o trabalho apostólico da Igreja, e, portanto, do Opus Dei, “só pode crescer através da oração”.

Brian deu de presente a Mons. Ocáriz uma escultura em madeira de um salmão colorido, que é outro dos símbolos característicos de Vancouver. Os salmões nascem no leito dos rios e nadam imediatamente em direção ao oceano, o centro do planeta. Depois voltam ao rio para se reproduzirem. Esta viagem, conhecida como a “corrida do salmão”, é perigosa, pois o peixe tem de ultrapassar muitos obstáculos nadando rio acima.

No final do encontro, Yesid interpretou uma canção que havia composto alguns anos antes: a letra fala da busca de Deus. O prelado deu-lhe um abraço e depois a sua bênção a todos os presentes.

Durante o resto do dia, Mons. Ocáriz esteve com várias famílias que vieram cumprimentá-lo de Calgary, Edmonton e Vancouver.

Sexta-feira, 9 de Agosto

De manhã, o Prelado do Opus Dei visitou o Arcebispo de Vancouver, J. Michael Miller, que conhece e valoriza o trabalho que os fiéis da Prelazia realizam em sua diocese. Depois teve um encontro com um grupo de sacerdotes, e animou-os a ter esperança e enfrentar os desafios da Igreja com confiança em Deus. Ressaltou a importância de estar unidos ao Santo Padre.

Mons. Ocáriz também teve uma tertúlia com um grupo de jovens no Centro Cultural Crestwell. Elas o receberam cantando a canção A million dreams(Um milhão de sonhos). O Prelado aproveitou a letra para lembrar que os sonhos são uma coisa boa, mas acima deles está “o amor de Deus por nós, que é fundamental e não um sonho”. Esse amor, disse “aumenta nossa fé e nos dá confiança”.

Uma das jovens, Mary-Jo, contou que vai começar a faculdade no outono, e pediu conselhos para dialogar com pessoas que não pensam como ela. O prelado falou da importância de ser uma boa amiga: “Amizade não é pensar exatamente o mesmo que a outra pessoa, mas procurar o seu bem, mesmo que você tenha opiniões diferentes. Significa ter um interesse verdadeiro pela outra pessoa e compartilhar o que está no seu coração.

Isabel é de Calgary e perguntou como não considerar a oração uma obrigação chata, mas como algo atraente, como estar com um amigo. “Às vezes podemos nos entediar porque somos fracos e não vemos o Senhor fisicamente”, explicou o prelado. “Acreditamos, mas não vemos. É uma questão de fé. Pense em Jesus como uma pessoa que a ama apaixonadamente, não como uma ideia”.

Entre as presentes estavam as voluntárias que iriam, logo após o encontro, a uma atividade social chamada “Camp Misawannee”. Bev e Sami deram ao prelado uma camiseta verde, com as palavras “Honorary Camper” e, no final do encontro, o grupo tirou uma foto com Mons. Ocáriz.

À tarde, cerca de 40 estudantes do ensino médio, universitários e jovens profissionais de Lower Mainland, Victoria e Alberta participaram de outro encontro com o prelado.

Alguns estudantes perguntaram como evangelizar os seus colegas de classe e levá-los a Cristo. “O trabalho apostólico não é só para alguns, mas para todos”, observou Mons. Ocáriz. “Vocês recebem uma formação mais intensa, e têm a responsabilidade de compartilhar isso com a família, companheiros de trabalhos, colegas de classe. Pensemos nos doze apóstolos, que acabaram sendo mártires, exceto São João, que também sofreu o martírio, mas não morreu naquele momento. Não tenham medo ou vergonha de ir contra a corrente”, disse, “nem mesmo quando é difícil ir contra os caprichos e as modas”.

Respondendo a uma pergunta de João Paulo, recordou: “Pensem que é Jesus Cristo quem sustenta as suas batalhas. Isto deve levar-nos a apoiar-nos na Eucaristia, que é onde encontramos a verdadeira força”.

Nicholas entregou ao prelado um Inukshuk, uma estátua de pedra em forma de pessoa. Para os Inuit, os nativos do extremo norte do Canadá, os Inukshuk são um marcador para indicar lugares importantes. Simboliza amizade, esperança e segurança.

Depois dos encontros com jovens, várias famílias foram recebidas pelo Padre. Entre elas estava a família de Marietta, que chegou a Vancouver em 1973 e era a única pessoa do Opus Dei nessa época. Desde então, a prelazia cresceu bastante no Oeste do Canadá. Ficou comovida quando o prelado lhe agradeceu pelo seu trabalho.

Quinta-feira, 8 de agosto de 2019

Depois da visita pastoral a várias cidades dos Estados Unidos, Mons. Fernando Ocáriz aterrissou em Vancouver às 15h30, em um voo procedentes de San Francisco. Depois das formalidades fronteiriças e alfandegárias, foi recebido pelo vigário do Opus Dei no Canadá, Mons. Fred Dolan, e várias famílias que o esperavam no aeroporto.

"Welcome to Canada, Padre" foi o que os filhos de Jonathan e Melissa tinham escrito no cartaz que preparam para acolher o prelado. Os pequenos ficaram felizes ao perceber a surpresa de Mons. Ocáriz.

Anna e James, ambos conversos, e os seus sete filhos pequenos também cumprimentaram o prelado com um cartaz de "Bem-vindo ao Canadá". Anna deu-lhe um livro recentemente publicado com histórias de conversão à fé cristã, que inclui a sua própria história. O prelado também recebeu maple syrup e um alce de pelúcia, o animal típico do Canadá.

Adna e Gabriel (que está fazendo o doutoramento em alterações climáticas em Vancouver) também foram ao aeroporto para acolher o prelado, com os quatro filhos e o quinto a caminho.

Mons. Ocáriz foi para Glenwood, um dos centros da prelazia em Vancouver. Depois de saudar o Senhor no Santíssimo Sacramento, passou algum tempo com o Padre José Soria, que há cinco anos teve alguns derrames. O prelado tinha-lhe escrito várias cartas e o padre José ficou comovido com o carinho que o Padre lhe demonstrava.