Atos dos Apóstolos - De Saulo a Paulo

Na audiência geral, o Papa recordou Saulo de Tarso, que, "com a autorização do sumo sacerdote, perseguia os cristãos, sendo intransigente com quem que pensava diferente".

Da Igreja e do Papa

Após o martírio de Santo Estevão, os Atos dos Apóstolos nos contam como o jovem Saulo pensando servir a Lei de Moisés, perseguia os cristãos. Mas foi tocado pelo Senhor na estrada para Damasco.

O jovem Saulo é retratado como uma pessoa intransigente, intolerante com quem é diferente, vendo no outro um inimigo potencial que deve ser combatido. Ao escutar Jesus que lhe perguntava porque O perseguia, Saulo percebe que atacar um membro da Igreja significava atacar o próprio Cristo.

Saulo perde a visão; tal cegueira era a manifestação exterior da sua realidade interior

Após essa manifestação, Saulo perde a visão; tal cegueira era a manifestação exterior da sua realidade interior. Quando recebe o Batismo das mãos de Ananias, Saulo experimenta pessoalmente a Páscoa, passando da morte à vida: o que antes era motivo de glória para ele, agora considera como lixo, pois o seu verdadeiro ganho é viver em Cristo. Com isso Saulo aprende a enxergar com os olhos da vida nova que recebeu no Batismo: os inimigos se convertem em irmãos em Cristo; o perseguidor se converte em evangelizador.