Nossa Senhora Aparecida

O Papa Francisco, na sua viagem ao Brasil por motivo das JMJ 2013, visitará Nossa Senhora Aparecida no próximo dia 24 de julho. S. Josemaria também lá esteve rezando no mês de maio de 1974.

Relatos biográficos

Nossa Senhora Aparecida

Santuário de Nossa Senhora  Aparecida

Aparecida do Norte é uma pequena cidade construída sobre uma colina, a 175 km de São Paulo, a caminho do Rio de Janeiro. Ao seu lado corre o rio Paraíba, largo e caudaloso, que nesse lugar faz uma grande curva com uma enseada no lado direito. A história remonta a 1717. Contam as crônicas que três pescadores, chamados João, Filipe e Pedro trabalhavam com as redes no rio, sem obter resultados. D. Pedro Almeida, conde de Assumar, Governador de Minas Gerais e de São Paulo, iria passar por aquelas terras, e os pescadores tinham recebido ordem de levar tudo o que caísse nas redes para o banquete em honra do Governador, e para exibir os recursos do rico vale do Paraíba. As horas passavam e, nas águas do rio, a rede ia e vinha sem apanhar nem um único peixe entre as malhas. Ao chegar ao porto de Itaguassú, rendidos e esgotados, João lançou de novo a rede e, com grande surpresa, recolheu uma pequena imagem de Nossa Senhora. Os três beijaram a imagem e confiados lançaram outra vez as redes à água. E, conta o cronista que a partir desse momento, a pesca foi muito abundante.

S. Josemaria chegou de helicóptero vindo de São Paulo

Se João foi quem encontrou a imagem aparecida no fundo do rio, foi Filipe quem a conservou na sua casa. Esteve lá quinze anos até que o seu filho construiu uma capela no porto de Itaguassú, porque já não havia lugar na casa para acolher tanta gente que ia rezar a Nossa Senhora. Em 1745 foi inaugurada uma nova igreja no alto do morro dos coqueiros, colina próxima que domina todo o vale do Paraíba. Foi-se formando uma cidade com o nome de Aparecida, à volta da primeira igreja que se construíra, várias vezes derrubada e construída de maior tamanho, à medida que o número de peregrinos aumentava.

Josemaria Escrivá em Aparecida

O fundador del Opus Dei rezou o terço com centenas de pessoas

Terça-feira 28 de maio de 1974 S. Josemaria foi de helicóptero até ao santuário da padroeira do Brasil, Nossa Senhora Aparecida. Quando descia as escadas, uma senhora adiantou-se e entregou-lhe um ramo de rosas brancas: “São para Nossa Senhora”, disse o Padre, pegando nelas. Posteriormente, entrou na basílica, onde centenas de pessoas o esperavam para acompanhá-lo na recitação do terço. O fundador do Opus Dei se ajoelhou-se no chão do presbitério e começou-se a rezar, em português, o Terço.

Com o olhar fixo na pequena imagem, S. Josemaria respondia em voz baixa às orações. Pausadamente, em uníssono, toda a igreja rezava em voz alta. Quando terminou, o fundador do Opus Dei levantou-se e rodeou o altar pelo lado direito, para subir até ao camarim de Nossa Senhora Aparecida. Olhou uns instantes a Virgem e beijou o escudo enquanto dizia em voz baixa: “Mãe!”. As rosas ficaram aos pés da imagem. No dia seguinte, comentou: «Com que alegria fui à Aparecida! Com que fé rezáveis todos! Eu dizia à Mãe de Deus, que é Mãe vossa e minha: Minha Mãe, Mãe nossa, eu rezo com toda esta fé dos meus filhos. Queremos-Te muito, muito. E parecia-me escutar, no fundo do coração: com obras!».

Interior da basílica, onde S. Josemaria e os peregrinos ali reunidos rezaram o terço, no dia 28 de maio