Ética e Cidadania

O exercício da cidadania por meio de uma atuação mais vigorosa em defesa da ética foi o tema de um simpósio organizado pelo Centro de Extensão Universitária, em São Paulo, no último mês de junho.

O Centro de Extensão Universitária, obra corporativa do Opus Dei em São Paulo, organizou no mês de junho um evento com o objetivo de apresentar de forma panorâmica e prática os diversos meios e canais disponíveis para o pleno exercício da cidadania em temas de vital importância para a sociedade.

Iniciativa de rigor acadêmico e alcance humano

O evento, coordenado pelo Dr. Ives Gandra da Silva Martins, presidente do Centro de Extensão Universitária, reuniu cerca de 300 assistentes, ligados aos mais diversos campos de atuação. Os temas abordados estimularam os participantes a ter uma presença mais ativa nas diversas esferas da vida social, pautada por uma intensa defesa dos valores éticos.

O ministro do Tribunal Superior do Trabalho, Ives Gandra Martins Filho, desenvolveu os aspectos teóricos da ação cívica, concluindo a sua exposição com a idéia de que o "resgate da ética social e do exercício da cidadania é o primeiro passo no sentido de reconstruir os fundamentos de nossa civilização”. Sugerindo que a sociedade não assista passivamente à erosão sistemática de valores universais, citou o exemplo de outro países nos quais a ação de organizações não governamentais representa um enorme peso na vida pública e obriga a uma ação responsável por parte dos governantes.

Juntamente com o ministro, Margoth Giacomazzi Martins, juíza do trabalho, Paula Nelly Dionigi, Procuradora do Estado de São Paulo, e o Prof. Paulo Restiffe Neto, magistrado e diretor do Centro de Extensão Universitária, responderam às perguntas do público concernentes a esse tema.

Ética nos meios de comunicação

O Prof. Di Franco durante a apresentação

Após um intervalo, o Prof. Carlos Alberto Di Franco, jornalista e diretor do Master em Jornalismo do Centro de Extensão Universitária, apresentou uma série de instrumentos práticos para o exercício da cidadania. Destacando o importante papel dos meios de comunicação neste terreno, o jornalista explicou como é possível utilizar os canais de comunicação para que a sociedade manifeste, de modo mais consistente, os seus pontos de vista. Foram lembradas, por exemplo, as ações de parlamentares e de entidades de classe no sentido de promover a ética na televisão e no mundo da publicidade. O Prof. Di Franco recordou ainda uma série de estatutos e leis em defesa da cidadania que, infelizmente, não têm sido respeitados, em muitos casos em virtude do próprio comportamento passivo da sociedade.

Soraya Marciano Silva, Procuradora Federal, Laudo Arthur, advogado, e Ângelo Patrício Stachini, promotor de justiça em São Paulo, completaram a mesa e atenderam às questões do público referentes a tais assuntos.

O Prof. Jorge Pimentel Cintra, diretor do Centro de Extensão Universitária e responsável pela organização do evento, agradeceu a presença dos conferencistas e encerrou o encontro ressaltando a importância de iniciativas como esta, salientando que o programa deve repetir-se em outra ocasião abordando temas correlatos.