Elisabeth e as aventuras de um jovem casal em Delhi

Elizabeth Varghese, casada e com dois filhos, nasceu em Indore (Índia). Depois de casar-se, a família foi morar em Delhi, onde agora trabalha como professora de crianças com necessidades especiais.

Testemunhos
Opus Dei - Elisabeth e as aventuras de um jovem casal em Delhi Elizabeth Varghese mora em New Delhi e tem devoção a São Josemaria.

Depois do meu casamento, mudei com meu marido para o norte, para Delhi, e encontrei uma cultura e vizinhança muito diferentes, longe do ambiente onde cresci.

Como acontece com muitas pessoas em circunstâncias semelhantes, no começo não foi fácil adaptar-me a uma nova cidade. Logo nasceu nosso primeiro filho e ficamos cheios de alegria por sermos abençoados com um bebê. Ao mesmo tempo, descobrimos que precisávamos de orientação sobre como ser bons pais. Como sempre, Deus tinha tudo pensado, só agora percebo isso.

Como sempre, Deus tinha tudo pensado, só agora percebo isso

Havia começado a dar aulas em um colégio e ali uma colega me falou pela primeira vez sobre a mensagem do Opus Dei e do seu fundador. Seus ensinamentos sobre a grandeza do casamento e da vida familiar me ajudaram muito. Minha amiga me aconselhou algumas leituras e também me falou sobre o seu casamento. Estava cheia de ideias sobre o amor entre os cônjuges, a educação dos filhos e compaginar o trabalho e a família.

Agora já tenho dois filhos e somos nós, meu esposo e eu quem compartilhamos nossa experiência com outros casais jovens. A verdade é que nos sentimos muito bem contando nossas aventuras dos primeiros anos.

A vida é como um quebra-cabeça

Algo que aprendi e que agora procuro transmitir é que às vezes damos importância demais aos grandes acontecimentos e nos esquecemos de que nossa vida é composta por peças pequenas, como um quebra-cabeça, que compõem uma imagem maior. São Josemaria em seus escritos, homilias e palestras sempre enfatizou o valor das pequenas coisas: agradecer, deixar as coisas da casa organizadas, perdoar, pedir desculpas, ser pontuais, sorrir...

Crianças com necessidades especiais

Agora trabalho num colégio para crianças com necessidades especiais. Pessoalmente, acho muito significativas e alentadoras estas palavras do Papa Francisco: “Merecem grande admiração as famílias que aceitam, com amor, a prova difícil dum filho deficiente”.


Como professora, tenho que ajudar e treinar estas crianças para que façam parte da sociedade

E continua: “A família que aceita, com os olhos da fé, a presença de pessoas com deficiência poderá reconhecer e garantir a qualidade e o valor de cada vida, com as suas necessidades, os seus direitos e as suas oportunidades. Tal família providenciará assistência e cuidados e promoverá companhia e carinho em cada fase da vida” (Amoris Laetitia, n. 47).

Como professora, tenho que ajudar e treinar estas crianças para que façam parte da sociedade, fazer com que as pessoas ao seu lado sejam sensíveis e não só compreensivas, e ajudara os pais a aceitarem a condição de seus filhos e que sejam mais otimistas.

Tudo isto necessita dedicação, paciência e amor. E para que isto esteja presente no meu coração, como ensina São Josemaria, sei que tenho de estar perto de Deus com muita oração e contar com a sua ajuda em todas as situações. Recorro à sua intercessão para que me ajude a consegui-lo com um sorriso!