Deus atua mesmo no meio de aparentes fracassos

Na Audiência de hoje o Santo Padre retomou as catequeses sobre os atos dos Apóstolos, comentando desta vez a viagem de São Paulo de Cesareia a Roma.

Da Igreja e do Papa

Na parte final do livro dos Atos dos Apóstolos, vemos que o Evangelho continua a sua corrida não só por terra, mas também por mar; agora num barco, que leva Paulo, prisioneiro, de Cesareia para Roma.

As condições da travessia são desfavoráveis e a viagem torna-se perigosa, tendo de atracar em Creta. Paulo aconselha a esperarem que a situação melhore, mas o centurião não lhe dá ouvidos e saem para o alto mar. Desencadeou-se, porém, um vento furibundo, que faz a tripulação perder o controle do barco e este fica à deriva. Quando já o desespero se apoderara de todos, Paulo intervém; mesmo na provação e apesar de não lhe terem dado ouvidos, não cessa de ser guardião da vida dos outros e animador da sua esperança.

Homem de fé, sabe que Deus o quer em Roma, como aliás lho confirma um Anjo: "É necessário que compareças diante de César e, por isso, Deus concedeu-te a vida de todos quantos navegam contigo". Na verdade, aquela viagem por mar terminaria com o barco encalhado e completamente desfeito, mas os náufragos alcançariam, a nado, a ilha de Malta, onde encontraram a hospitalidade dos seus habitantes.

Toda a pessoa que se entrega a Deus por amor, seguramente será fecunda.

Paulo ensina-nos a viver as provações abraçando-nos fortemente a Cristo, certos de que Deus pode atuar em qualquer circunstância, mesmo no meio de aparentes fracassos, e toda a pessoa que se entrega a Deus por amor, seguramente será fecunda.