Uma bicicleta para avançar juntos

Marek nunca viu o rosto de sua esposa. É cego, mas lembra-se nitidamente da imagem de Nossa Senhora de Częstochowa, e assim imagina a sua mulher. Para comemorar o sexto aniversário de casamento foram de bicicleta juntos visitar a Virgem Maria em Jasna Góra.

Testemunhos
Opus Dei - Uma bicicleta para avançar juntosMagda e Marek antes de começar a pedalar em sua bicicleta de dois lugares.

Marek e Magda têm 40 anos e nasceram com doze horas de diferença. Ele é um massagista muito reconhecido, e cooperador do Opus Dei. Foi responsável pela recuperação de mais de um atleta com graves lesões, incluindo a sua esposa. Depois de um grave acidente de carro, Magda recorreu a sua ajuda e hoje trabalham juntos. Ela é graduada em psicologia e trabalha com psicossomática.

A devoção a Nossa Senhora está profundamente enraizada no casal. Os pais de Marek ajudaram a construir a paróquia de Nossa Senhora de Częstochowa em Powiśle, a sua cidade natal, durante o domínio comunista. Debaixo do sino há uma inscrição que Jan Flis e seu filho deixaram ali. Marek se lembra dos detalhes da imagem da Virgem.

A sua cegueira teve dois momentos. O primeiro foi com quatro anos, durante um jogo no colégio. Os médicos não puderam fazer nada para salvar a retina descolada. Dezessete anos depois, uma rolha de garrafa atingiu o outro olho. Marek tinha então 21 anos. Lembra-se bem da data porque era 26 de agosto de 1999, a festa de Nossa Senhora de Częstochowa.

Em vez de se ressentir, Marek viu a mão de Deus e de Santa Maria por trás de tudo

Em vez de se ressentir, Marek viu a mão de Deus e de Santa Maria por trás de tudo. “O Senhor Deus concede favores ainda maiores”, e acrescenta que está agradecido pelas pessoas que o Senhor colocou no seu caminho.

Antes dos seus acidentes, Marek e Magda eram muito esportistas. Ele andava de bicicleta e ela a cavalo. Depois do casamento, compraram uma bicicleta de dois lugares. “Foi interessante porque foi vendida por um casal que disse que não conseguiam usá-la porque discutiam muito. E para nós, esta bicicleta é a terapia mais gostosa, brinca Magda. Porque neste tipo de bicicleta não dá para ir sozinho, como você quiser. E você não pode pedalar em ritmos diferentes, tem que ouvir o outro”.

Magda foi e é para ele os seus olhos para o mundo. E é a que o conduzirá para encontrar Nossa Senhora em Częstochowa e pedir-lhe, entre outras coisas, o dom da paternidade. Quando souberam da peregrinação a Jasna Góra decidiram ir. Pegaram a bicicleta e começaram a pedalar os trezentos quilômetros que os separam de seu destino.