Atos dos Apóstolos - Jesus, o nome que salva

O Papa Francisco, na primeira Audiência Geral depois da pausa de verão, retomou a série de catequeses sobre os Atos dos Apóstolos, comentando o milagre de Pedro que, em nome de Cristo, curou um paralítico.

Da Igreja e do Papa
Opus Dei - Atos dos Apóstolos - Jesus, o nome que salva

O livro dos Atos dos Apóstolos mostra como o anúncio do Evangelho é confirmado pelos milagres e sinais que o acompanham.

O primeiro deles é a cura de um paralítico de nascença que, todos os dias, era colocado à porta do Templo de Jerusalém para pedir esmola. Um dia, pelas três da tarde, Pedro e João sobem ao Templo e seus olhos cruzam-se com o olhar daquele mendigo que pede uma esmola. Os apóstolos acolhem aquele olhar, aceitam um encontro real com aquele homem doente, ativam uma relação: “Não tenho ouro nem prata, mas o que tenho eu te dou: em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, levanta-te e anda!”.

Encontrando os Apóstolos, o mendigo não encontra dinheiro, mas o Nome que salva: Jesus Cristo Nazareno. Pedro e João ensinam-nos a confiar, não nos meios materiais – sem dúvida, necessários –, mas na verdadeira riqueza que é a relação com Jesus ressuscitado. De fato, como dirá o apóstolo Paulo, “somos julgados (…) indigentes, porém enriquecendo a muitos, sem posses, nós que tudo possuímos” (2 Cor 6, 10).

O nosso tudo é o Evangelho, que manifesta o poder do nome de Jesus que realiza prodígios. Prova disto é o paralítico curado: agora caminha, salta e louva a Deus. Pode viver celebrando o Amor de Deus que o criou para a vida e a alegria.