Abertura do processo de beatificação de Marcelo Henrique Câmara

A Arquidiocese de Florianópolis começou o processo de beatificação e canonização do jovem Marcelo Câmara, com a instauração do tribunal.

Opus Dei - Abertura do processo de beatificação de Marcelo Henrique CâmaraFoto: Paróquia Sagrado Coração de Jesus - Florianópolis

A Arquidiocese de Florianópolis iniciou no dia 8 de março o processo de beatificação e canonização de Marcelo Henrique Câmara, com a instauração do tribunal. A cerimônia ocorreu no Santuário Sagrado Coração de Jesus, no bairro Ingleses, seguida de uma Missa concelebrada pelo Arcebispo Dom Wilson Tadeu Jöunck.

O postulador romano Paolo Villota participou a abertura do processo. Ao fim da Missa, na qual estiveram presentes os pais e o irmão de Marcelo Câmara, foi lido o termo de reconhecimento dos restos mortais do Servo de Deus, que foram transladados do Cemitério do Itacorubi para a Paróquia Sagrado Coração de Jesus.

Foto: Paróquia Sagrado Coração de Jesus - Florianópolis

Na sua homilia, Dom Wilson Tadeu Jönk enfatizou que “é hora de colocar a santidade sobre um candelabro” e de “assumirmos esse chamado, essa vocação de sermos santos”. “É o que Marcelo nos ensina com sua vida tão curta, mas com um testemunho tão intenso”.

Segundo o Arcebispo, o jovem Marcelo “foi chamado a buscar a santidade passo a passo e foi aumentando no entendimento daquilo que era a vida de santidade, foi assumindo essa vida e nos dá esse belo testemunho, em todos os passos de sua vida, em todos os ambientes de sua vida”.

"Marcelo ficou muito impactado com uma palestra sobre
a pessoa de Jesus".

“Marcelo teve um episódio em sua vida muito interessante. Ele ficou muito impactado com uma palestra sobre a pessoa de Jesus. Não é que ele não conhecesse Jesus, mas ali aquilo se apresentou de uma forma tão forte, que ele quis servir a Jesus” e “fez isso com todas as forças”.

Assim, ressaltou o “testemunho cristãos” de Marcelo em “todos os ambientes”, como, por exemplo, “na faculdade, onde sabemos que muitas vezes é um ambiente onde Deus não é muito bem-vindo”, ou mesmo “no ambiente jurídico, como advogado, depois como promotor de Justiça”.

“Que esse dia em que iniciamos o processo de beatificação do Marcelo possa ser também para nós um novo início, um momento de acordar como Marcelo diante da palestra sobre Cristo”, concluiu o Arcebispo.

Atualmente os restos mortais de Marcelinho estão no Santuário Sagrado Coração de Jesus "dos ingleses", em Florianópolis, uma paróquia onde Marcelo era catequista e ministro extraordinário da Eucaristia. Foto: Paróquia Sagrado Coração de Jesus - Florianópolis

O site da diocese de Florianópolis conta que Marcelo Henrique Câmara foi um filho e irmão extremamente dedicado à sua família. Amadureceu muito cedo com a separação dos pais e aos 10 anos de idade, assumiu atitude de responsabilidade pela mãe e pelo irmão mais novo.

Na juventude procurou render ao máximo seus exímios dotes intelectuais, empenhando-se nos estudos. Tornou-se mestre em Direito, atuou como professor substituto da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e como Promotor de Justiça do Estado.

No início do curso universitário participou do retiro espiritual do Movimento de Emaús, quando obteve a graça de profunda conversão ao Evangelho. Nos anos seguintes exerceu intenso apostolado com os jovens do Movimento e na sua Paróquia Sagrado Coração de Jesus, do bairro Inglese, em Florianópolis.

Participando dos meios de formação da Opus Dei, encontrou a confirmação da sua vocação laical de santificar as realidades temporais, incluindo o trabalho profissional. Veio a falecer em uma Quinta-feira Santa, dia 20 de março de 2008. Desde então, a fama de santidade do jovem começou a ficar mais conhecida.

Todo dia 20 é celebrada uma missa no Santuário Sagrado Coração de Jesus em honra a Marcelo e pedindo pelo processo de beatificação e canonização.

Veja mais fotos da abertura do processo de Beatificação e Canonização do Marcelinho no site da paróquia Sagrado Coração de Jesus