Viver com um anjo na terra

Chamo-me Isabel Merino, sou do Opus Dei há 25 anos. Sou casada e mãe de quatro filhos.

Chamo-me Isabel Merino, sou do Opus Dei há 25 anos. Sou casada e mãe de quatro filhos. A 13 de Abril de 2008 nasceu o nosso filho mais novo, Iñigo. Foi uma gravidez complicada, passada numa unidade de cuidados intensivos. Numa das ecografias tiradas detectaram que o nosso filho vinha com uma cardiopatia grave. Estávamos conscientes de que tinha 50% de possibilidades de nascer normal e 50% de nascer com alguma síndrome.

Durante o resto da gravidez tive muito presente São Josemaria quando dizia: “Se vierem contradições, fica certo de que são uma prova do amor de Pai que o Senhor tem por ti.” (Forja, 815).

Mais que Ele, Deus, ninguém, nem sequer eu sendo sua mãe, podia querer o melhor para o nosso filho.

A poucas horas de nascer deram-nos a notícia que, dias depois se confirmaria com um estudo cromossômico, o nosso filho tinha nascido com síndrome de Down.

Tanta oração, tanta prece, tanto pedir ao Senhor pela saúde do nosso filho… teria servido para alguma coisa? Tanta oração ajudou-nos a aceitar com alegria a chegada de um filho especial, a confiarmos em Deus! Tanta prece foi ouvida e Iñigo venceu, com cinco meses, uma operação de vida ou de morte ao coração! Deus escutou o nosso pedido, e hoje o nosso filho tem três anos e enche de felicidade a quem tem a dita de partilhar com ele o dia-a-dia!

Tenho meditado muito – e verifiquei que é verdade – o que diz São Josemaria em Caminho: “A aceitação rendida da Vontade de Deus traz necessariamente a alegria e a paz: a felicidade na Cruz. - Então se vê que o jugo de Cristo é suave e que o seu fardo não é pesado”.

Sinto-me uma mãe afortunada, e todos nos sentimos uma família de sorte. Tenho de reconhecer que, desde que Iñigo nasceu, sinto-me mais perto de Deus, vivendo com um anjo na terra.

Cada dia estou mais convencida de que Deus nos leva pela mão e, se nós confiamos n’Ele, nunca nos defrauda.