Viagem Apostólica à Bulgária e Macedônia do Norte

Na Audiência de hoje, o Santo Padre recordou sua recente viagem à Bulgária e Macedônia do Norte.

Da Igreja e do Papa

Ontem concluí a minha Viagem Apostólica de três dias à Bulgária e à Macedônia do Norte.

Na Bulgária, tendo diante dos olhos a memória de São João XXIII, que lá residira como Visitador e Delegado Apostólico, convidei todos a caminhar pela estrada da fraternidade. O exemplo dos Santos Cirilo e Metódio, evangelizadores dos povos eslavos e padroeiros da Europa, procurando com grande criatividade, inclusive criando um alfabeto, transmitir o Evangelho, serve de modelo para os novos evangelizadores fim de levar a Palavra de Deus àqueles que não a conhecem e irrigar as terras onde as raízes cristãs parecem estar secando.

Já na Macedônia do Norte, terra natal de Santa Madre Teresa de Calcutá, mostrei como ela - uma mulher pequena em estatura, mas cheia da força do Espírito Santo - é imagem da comunidade cristã naquele país: pequena mas que pela graça se converte numa casa onde muitos são acolhidos e encontram restauração. Este país jovem do ponto de vista político, tem demonstrado tradicionalmente uma grande capacidade de hospedar pessoas pertencentes a vários grupos étnicos e religiosos e, recentemente, mostrou-se muito generoso ao acolher e socorrer um grande número de migrantes.

Que Deus possa proteger essas nações com a sua infinita providência, iluminando as comunidades católicas a serem sempre fermento e perfume de suave odor nessas terras.