Termina a fase diocesana da causa de beatificação de Toni Zweifel

No dia 2 de julho realizou-se em Zurique (Suíça) a cerimônia de clausura da fase diocesana da causa de beatificação de Toni Zweifel. Toni era um fiel do Opus Dei, da Suíça, engenheiro, que faleceu com fama de santidade em 1989. “Minha vida – resumia ele mesmo – foi uma história de amor”.

Toni Zweifel(1938 – 1989) fez o curso de engenharia industrial na Escola Politécnica de Zurique. Lá conheceu alguns fiéis do Opus Dei, e descobriu a possibilidade de santificar-se e ajudar os outros através do seu trabalho. Terminados os estudos, trabalhou como colaborador científico no Instituto de Termodinâmica do ETH.

Pouco antes, em 1962, havia pedido a admissão no Opus Dei. “Tendo chegado ao ponto em que alcancei praticamente tudo o que me havia proposto – escreveu Toni a São Josemaria Escrivá – e pensando que afinal de contas passaria o resto de minha vida desta forma, sujeito às mesmas inclinações, às mesmas ambições, vi claramente que este não podia ser o meu caminho: tinha que ir mais longe, amar de verdade, superar meu egocentrismo com amor, fazer uma escolha, comprometer-me seriamente”.

tinha que ir mais longe, amar de verdade, superar meu egocentrismo com amor

Mais tarde, em 1972, a sua vida profissional deu uma volta pois começou a trabalhar para a Fundação Limmat, instituição solidária para a promoção de iniciativas educativas e sociais para os mais desfavorecidos em trinta países do mundo.

Em 1985, foi-lhe diagnosticada leucemia, doença contra a qual lutou com serenidade até o falecimento em 1989. Muito cedo, o exemplo de generosidade, alegria e piedade de Toni, que seus amigos recordavam, fez com que a devoção entre muitos cristãos crescesse progressivamente.

20 anos de fase diocesana

Durante 20 anos, se estudou, na diocese de Coira (Suíça), a sua vida e se juntaram documentos e declarações de amigos e devotos, residentes também em Verona e Roma. No último 2 de julho, o Administrador Apostólico, Mons. Peter Bürcher, na presença do tribunal competente, do postulador da causa e de muitas outras pessoas envolvidas, presidiu à selagem das caixas com a documentação que será enviada a Roma. Elas contêm os testemunhos e os relatos de numerosas graças recebidas, que serão estudadas na Congregação para as Causas dos Santos.

Lembrou-se, além disso, que existe um livro biográfico sobre Toni e anunciou-se a próxima edição de um documentário sobre a vida exemplar deste engenheiro suíço.

“A santidade cristã – escreveu o jornalista Francesco Ognibene no jornal – ‘Avvenire’ – a dos leigos no meio do mundo que o Concílio mostrou, tem em Toni Zweifel um exemplo de manual”.