São Josemaria na Rússia

Alexánder Sokolóv, artista russo conhecido a nível internacional, aceitou prontamente o repto de escrever um primeiro ícone russo do fundador do Opus Dei, São Josemaría: um santo actual que se pode ver na televisão; um santo que amou muito a Rússia, e que rezou e pediu para rezar muito pela Rússia

Alexandre Harvard / Para um cristão oriental um ícone é em si contemplação, oração. Um ícone vale muito para a alma que se aproxima de Deus. Um ícone não se pinta, escreve-se.

E, quando o artista escreve o ícone, contempla e plasma aquilo que vê: nunca deixa nele a sua assinatura pessoal, porque o que procura é plasmar o eterno. E por isso a representação do Céu no ícone é simples, normalmente dourada ou azul, mas sempre simples: no eterno. Sokolóv aceitou prontamente o desafio de escrever este ícone russo, o primeiro de São Josemaria Escrivá. O artista tem grande prestígio dentro e fora da Rússia: pintou com estilo pessoal, não só ícones muito venerados mas também um bom número de igrejas.

Aléxander Sokolóv, autor do ícone

Entre as suas obras contam-se várias igrejas em todo o mundo e um ícone da Virgem Eucarística, com o Menino representado como estando dentro do cálice, que tem fama de ser milagroso. É também autor do ícone de São Rafael, que ilustra a capa da última e mais difundida edição de Caminho em russo.

De fato, foi assim que este artista conheceu a figura de São Josemaria há anos, quando o diretor da Rádio Liberdade, na época da Perestroika, em Moscovo, o encarregou da capa de uma edição de Caminho em língua russa, e lhe pediu que utilizasse como tema a imagem do Arcanjo Rafael a acompanhar um rapazinho: evocava o seu longo caminho junto do jovem Tobias…

Como te rias, nobremente, quando te aconselhei a pôr teus anos moços sob a proteção de São Rafael!: para que ele te leve a um matrimônio santo, como ao jovem Tobias, com uma moça que seja boa e bonita e rica - disse-te, brincando.
E depois, que pensativo ficaste quando continuei a aconselhar-te que te pusesses também sob o patrocínio daquele Apóstolo adolescente, João, para o caso de o Senhor te pedir mais.
Caminho, 360.

As tradições oriental e latina não se devem entender como antagônicas nem contrapostas: ambas enriquecem a Igreja, de modo diverso mas complementar. Se quisermos, poderemos aprender muito uns dos outros. Por exemplo, nas obras de São Serafim Saróvski – muito venerado na Rússia – podem encontrar-se referências à santidade na vida quotidiana.

A Alexánder Sokolóv, um homem profundamente cristão – um cristão ortodoxo que recebeu como dom de Deus a vida e a mensagem de um santo católico – o que mais o marcou na mensagem de São Josemaria foi a possibilidade real de que Deus receba a nossa ocupação de cada dia como algo verdadeiramente santo, como obra Sua, de Deus, como Opus Dei. Por isso, para a faixa que São Josemaria sustém nas mãos, Alexánder escolheu o seguinte texto, fulcral na pregação do Fundador do Opus Dei:

DEUS CHAMA TODOS À SANTIDADE. QUALQUER TAREFA HONRADA SE PODE CONVERTER EM INSTRUMENTO DE SANTIFICAÇÃO PRÓPRIA E ALHEIA.

Na parte inferior do ícone contempla-se a imensa terra russa, sulcada por grandes rios. Também aí, como em qualquer outro lugar, Deus acolhe como oração – como sacrifício grato – o trabalho do lavrador que abre um novo sulco na terra, e ainda o dos pescadores que lançam as redes ao mar, oferecendo os seus afazeres ao Criador; e Deus contempla com agrado a conversa alegre de uma mãe com a filha…

Os frutos divinos nunca faltam no trabalho do cristão, ainda que às vezes não os vejamos. O iconista quis que a cor da casula fosse verde, cor litúrgica própria do tempo comum, que neste sentido evoca a vida quotidiana; e que os adornos dos paramentos fossem linhas sem limites, como sarmentos que dão incontáveis frutos, ao modo divino.

A Virgem Maria que aparece na parte superior do ícone é uma representação de Maria do tipo Znaménie (do Sinal Eucarístico). Esta categoria de ícones, na tradição oriental, costuma colocar-se em frente ao altar onde os sacerdotes celebram a Liturgia divina, por detrás da iconóstase. Em Maria unem-se os mistérios da Encarnação e da Eucaristia: Maria leva-nos à Eucaristia.

Procura dar graças a Jesus na Eucaristia, aconselha-nos São Josemaria, cantando louvores a Nossa Senhora, a Virgem pura, a sem mancha, aquela que trouxe ao mundo o Senhor. E, com audácia de criança, atreve-te a dizer a Jesus: - Meu lindo Amor, bendita seja a Mãe que te trouxe ao mundo! Com certeza que Lhe agradas, e Ele porá na tua alma ainda mais amor (Forja, 70).

O ícone de São Josemaria é um ícone sacerdotal, eucarístico e mariano. A cor vermelha no sacerdote também recorda o Sangue de Cristo…

Ao contemplar o ícone nas suas duas partes, é fácil recordar aquelas palavras de São Josemaria : Na linha do horizonte, meus filhos, parecem unir-se o céu e a terra. Mas, não, onde realmente se juntam é nos vossos corações, quando viveis santamente a vida ordinária (Amar o mundo apaixonadamente, Homilia pronunciada no campus da Universidade de Navarra em 8-X-1967).

O santo da vida corrente, como o definiu o Papa João Paulo II, ensina-nos a ter os pés na terra… e a cabeça no Céu. Um Céu cheio de anjos, que se abre diante dos homens e mulheres de coração grande, de todos os tempos e culturas.

É precisamente no coração humano onde o Espírito Santo – a quem tão profundamente se adora no Oriente – quer encontrar morada. No verso das pequenas reproduções deste ícone recolhe-se uma oração de São Josemaria ao Paráclito: Vem, ó Santo Espírito!: ilumina o meu entendimento, para conhecer os teus mandatos: fortalece o meu coração contra as insídias do inimigo: inflama a minha vontade… Ouvi a tua voz, e não quero endurecer-me e resistir, dizendo: depois…, amanhã. Nunc coepi! Agora!, não aconteça que o amanhã me falte. Ó Espírito de verdade e de sabedoria, Espírito de entendimento e de conselho, Espírito de gozo e de paz!: quero o que tu quiseres, quero porque o queres, quero como quiseres, quero quando quiseres… - Uma oração que impressiona quem a reza: também nestas imensas planícies da Rússia.

Imagem do ícon completo

O ícone venera-se num pequeno Oratório situado na antiga rua Karl Marx, em Moscovo. Agora, aí, nenhuma rua tem esse nome.