Por causa de um folheto

Há alguns anos, em 2001, distribuíram uns folhetos frente à empresa onde o meu irmão trabalhava, ele não prestou atenção, mas levou um para casa...

Opus Dei - Por causa de um folheto

Foi algo verdadeiramente excepcional. Há alguns anos, em 2001, distribuíram uns folhetos frente à empresa onde o meu irmão trabalhava, ele não prestou atenção, mas levou um para casa. Perguntei-lhe o que era e ele respondeu: se você quiser, eu lhe dou.

Comecei a lê-lo, juntamente com a minha irmã, trazia testemunhos sobre São Josemaria.

Aquele folheto tinha a oração a S. Josemaria. A minha irmã e eu combinamos pedir a São Josemaria um emprego para o nosso irmão.

Fomos à Internet e encontramos a Novena do trabalho. Rezamos com fé, porque tenho fé em todos os santos, eles intercedem por todas as boas obras nesta vida na terra, são um meio privilegiado para que as coisas boas aconteçam.

E aos 3 dias da Novena, o meu irmão arranjou emprego e, embora fosse provisório, pouco depois ofereceram-lhe, nessa mesma empresa, o emprego que ele queria.

Quando terminamos a Novena, a minha irmã e eu quisemos difundir a devoção a este Santo. Tiramos muitas fotocópias da Folha Informativa e distribuímos na Igreja. O boletim acabou ficando muito deteriorado devido ao uso que lhe demos e tivemos de lhe pôr durex.

Passado muito tempo, telefonamos para o Escritório de Comunicação e mandaram-nos mais boletins e também muitas estampas e a biografia de São Josemaria.

Há um ano, o meu marido ficou desempregado e animei-o a fazermos a Novena. Ficou quase 8 meses sem trabalhar, mas percebemos que durante esse tempo Deus nos concedeu muitas graças, sobretudo muita paciência e serenidade, e no dia em que menos esperávamos, chegou o emprego que ele queria.

Aprendi muitas coisas com São Josemaria, algo muito importante que me tinha custado bastante a entender, é sobre o sentido do trabalho. Trabalhei durante 22 anos em empresas. Deixei de trabalhar para cuidar do meu primeiro bebê. Estava habituada a trabalhar fora de casa e, agora fechada entre quatro paredes, estava caindo em depressão. E lembrei-me de que São Josemaria dizia que na vida do dia-a-dia, nas coisas mais pequeninas, aí devemos descobrir Deus: se estou lavando a louça, que não a lave por hábito e necessidade, mas por amor aos meus filhos, ao meu marido e a Deus. A partir daí a minha vida mudou, comecei a aceitar e a amar a minha vida diária.

Comecei a rezar “fazei com que eu também saiba converter todos os momentos e circunstâncias da minha vida em ocasião de Vos amar e de servir, com alegria e simplicidade, a Igreja, o Romano Pontífice e as almas”. Agora já vejo as coisas de modo diferente. Por isso estou tão agradecida e sei que devo transmitir esta mensagem.

Recentemente, convidaram-nos, a mim e à minha irmã, para a Missa de S. Josemaria que vai ser celebrada na Basílica. Estamos muito felizes.

Eloisa Canedo Sánchez, Ecatepec (Estado do México)