Formação, tarefa de sempre

Publicamos um artigo com pontos de meditação de Sã Josemaria, sobre a importância da boa formação na doutrina e sua difusão.

Textos para orar
Opus Dei - Formação, tarefa de sempre
Urge difundir a luz da doutrina de Cristo.

Entesoura formação, enche-te de clareza de idéias, de plenitude da mensagem cristã, para poderes depois transmiti-la aos outros.

- Não esperes umas iluminações de Deus, que Ele não tem por que dar-te, quando dispões de meios humanos concretos: o estudo, o trabalho.

Forja, 841

Ao oferecer-te aquela História de Jesus, pus como dedicatória: “Que procures Cristo. Que encontres Cristo. Que ames a Cristo”.

- São três etapas claríssimas. Tentaste, pelo menos, viver a primeira?

Caminho, 382

No momento em que aprendemos alguma coisa, descobrimos outras que ignorávamos e que constituem um estímulo para continuarmos esse trabalho sem nunca dizer que basta.

Amigos de Deus, 232

A vocação acende uma luz que nos faz reconhecer o sentido da nossa existência. É convencermo-nos, sob o resplendor da fé, do porquê da nossa realidade terrena. Nossa vida - a presente, a passada e a que há de vir - ganha um novo relevo, uma profundidade de que antes não suspeitávamos. Todos os fatos e acontecimentos passam a ocupar o seu verdadeiro lugar: entendemos para onde o Senhor nos quer conduzir, e nos sentimos como que avassalados por essa tarefa que Ele nos confia.

É Cristo que passa, 45

Não se pode separar a semente da doutrina da semente da piedade.

A tua tarefa de semeador de doutrina somente poderá evitar os micróbios que a tornem ineficaz, se fores piedoso.

Forja, 918

Uma chispa de luz

Se o mundo saiu das mãos de Deus, se Ele criou o homem à sua imagem e semelhança e lhe deu uma chispa da sua luz, o trabalho da inteligência - mesmo que seja um trabalho duro - deve desentranhar o sentido divino que já naturalmente têm todas as coisas; e à luz da fé, percebemos também o seu sentido sobrenatural, que procede da nossa elevação a ordem da graça. Não podemos admitir o medo à ciência, porque qualquer trabalho, se for verdadeiramente científico, conduz à verdade. E Cristo disse: Ego sum veritas, Eu sou a verdade.

É Cristo que passa, 10

O desejo de trabalhar pelo bem comum não basta; o caminho para que este desejo se torne realidade é preparar homens e mulheres capazes de adquirirem um bom preparo e capazes de darem aos outros o fruto da plenitude adquirida.

Entrevistas com Mons. Josemaria Escrivá, n. 73

A fé nos ensina que tudo tem um sentido divino, porque se insere no âmago do chamado que nos leva à casa do Pai. A compreensão sobrenatural da existência terrena do cristão não simplifica a complexidade humana; mas assevera ao homem que essa complexidade pode estar atravessada pelo nervo do amor de Deus, pelo cabo, forte e indestrutível, que une a vida na terra à vida definitiva na Pátria.

É Cristo que passa, 177

Enfrentar esperançosamente o futuro com fé sobrenatural não significa de modo algum ignorar os problemas. Pelo contrário: a fé é um novo acicate para a busca quotidiana de soluções, certeza de que nem a ciência nem a consciência de um cientista podem aceitar sem-razões de mentirosa eficácia, que levem a negar o amor humano, a secar as fontes da vida, ao hedonismo subtil ou ao mais boçal materialismo, que sufocam a dignidade do homem e o fazem escravo da tristeza.

Josemaria Escrivá e a Universidade p. 113

Prosseguimos o nosso caminho de serviço aos homens, na amável companhia da Mãe de Deus, que é também nossa Mãe. Ela dilatará o nosso coração e nos fará ter entranhas de misericórdia. E amparará a invocação que fazemos ao Espírito com o salmista – dirigi-me na vossa verdade e ensinai-me, porque sois o Deus da minha salvação e em vós eu espero sempre (Sal. 24, 5) – para que ilumine as inteligências e fortaleça as vontades, de maneira a nos habituarmos sempre a procurar, dizer e ouvir a verdade e assim se estabeleça, entre os homens, um clima de compreensão e de concórdia, de caridade e de luz, por todos os caminhos da terra.

Josemaria Escrivá e a Universidade p. 115