“Deus entrou em minha vida com uma explosão de cores”

O que acontece depois de estar à beira da morte e voltar à vida depois da intercessão de um santo? Como recuperar a normalidade quando uma filha sua esteve a ponto de morrer e foi curada graças à intervenção providencial de Deus? A cura após um milagre fica só no físico ou vai além? Ascensión foi curada de uma forte doença na coluna.

Favores
Opus Dei - “Deus entrou em minha vida com uma explosão de cores”Ascen colocou-se sob a intercessão do Bem-aventurado Álvaro del Portillo.

Texto original da revista Alfa y Omega«Dios entró en mi vida con una explosión de color»

“Eu sempre fui cristã, fui a um colégio católico, ouvia falar de Jesus…, mas para mim foi algo que aconteceu há dois mil anos e que se resumia em ser bom e não fazer o mal”, reconhece Ascensión.

Acostumada a controlar sua vida, Ascensión e seu marido decidiram ter filhos depois de dez anos de casados, “só quando tinha obtido certa situação no trabalho e tinha a minha vida mais ou menos dominada”.

Mas um dia, três meses depois de dar à luz ao seu segundo filho, Ascensión tenta se levantar da cama e não consegue. Tem o nervo ciático pinçado e três hérnias de disco: “não conseguia me mover. Tinha umas dores horríveis e dois filhos pequenos. Eu precisava que cuidassem de mim, não podia cuidar de ninguém. Emagreci 15 quilos, porque não conseguia comer nem dormir”.

Chegaram as cirurgias mas Ascensión não melhorava, e a seu calvário se somava a incompreensão dos responsáveis de sua empresa, que finalmente teve que deixar entre um ir e vir de atestados médicos. Com 36 anos, em meio a graves dores, marcaram uma nova cirurgia de maior profundidade, mas os médicos lhe advertiram: “Sua vida não vai ser a mesma e você não vai poder fazer tudo o que fazia antes, vai ficar muito limitada”.

“E quem é este senhor?”

Então, alguém lhe deu uma estampa de Dom Álvaro del Portillo, que ia ser beatificado naquela época em Madri. “E quem é este senhor?”, foi o que Ascensión disse primeiro. Mas se animou a rezar a oração da estampa. “Eu disse à minha mãe que ia rezar a esse senhor para que me fizesse um milagre. Comecei a rezar a estampinha e me abandonei completamente. Nesse período tinha que fazer os exames do pré-operatório, e comecei a andar sem muletas. Foi melhorando dia após dia, até que um dia o médico me disse: “Já não precisamos operar. O que você fez?”. E eu respondi: “Rezar!”, conta Ascensión.

“A partir daí minha vida deu uma reviravolta”, continua contando, não só pela cura física, “mas porque percebi como podemos chegar a ter uma relação tão especial com Deus e quanto nos ama para fazer um milagre hoje em dia. Depois de 2000 anos, Deus continua agindo”.

Durante uma semana, Ascensión não soube como reagir, mas depois “tudo foi uma explosão. Deus entrou na minha vida com uma explosão de cores. Vejo o Senhor onde antes não o via. Entendi que não somos nós que levamos as rédeas da nossa vida, e enquanto não nos percebermos isso não seremos felizes”.

Sinto-me cuidada por Deus

Seu marido também foi alcançado por tudo o que sua mulher estava passando. “Ele era ateu, e não entendia porque tinha começado a ir à Missa todos os dias para receber o amor de Deus. Dizia que era tudo um acaso, mas pouco a pouco começou a se aproximar da Igreja e agora é ele que me diz: Ascensión, vamos à Missa”. Teve uma conversão muito forte”.

Hoje Ascensión explica: “não me canso de falar do amor de Deus”, porque “temos a responsabilidade de dar testemunho dEle”. Além disso, “estou apaixonada por Ele, senti a sua presença muito perto. Vejo-o em minhas dificuldades no trabalho, vejo-o nas outras pessoas, em todos os lugares… Sou consciente de que Jesus morreu por este e por aquele, que conhece suas alegrias e suas tristezas, que sabe do último fio de cabelo da sua cabeça…

Vivo de modo muito diferente, com mais liberdade. Antes via problemas, e agora me abandono à sua vontade. Sou mais livre, não me preocupo se caio bem ou caio mal, estou tranquila em meio aos apuros econômicos, sabendo que Deus provê e que Ele cuida de nós. Eu me sinto muito cuidada por Deus. Tenho o mais importante, que é o amor de Deus. Sei que Deus existe e experimentei seu amor. É a felicidade mais plena e real”.

  • Juan Luis Vázquez Díaz-Mayordomo
  • Alfa y Omega