Viagem pastoral do Prelado à Suécia

Entre 12 e 15 de abril, mons. Fernando Ocáriz fez uma viagem pastoral à Suécia. Ontem ele foi cumprimentar o primeiro cardeal sueco, Anders Arborelius.

Prelado

Domingo, 15 de abril de 2018

“Nas leituras de hoje, vemos os apóstolos unidos em oração. É assim que o Senhor deve nos encontrar: rezando constantemente unidos pelo sucessor de Pedro – o Papa – e pelos sucessores dos apóstolos – os bispos –. A oração é a arma mais poderosa para construir a Igreja”. O prelado dirigiu estas palavras durante uma meditação em Lärkstaden, uma residência de estudantes localizada em Estocolmo.

Fotos:

De manhã, o prelado foi a Katarina Kyrka, um santuário de Nossa Senhora que fica no centro da capital. Depois de alguns momentos de oração, Mons. Ocáriz acendeu uma vela e rezou uma Salve Rainha com os presentes diante da imagem da padroeira da Suécia.

Depois, ele viajou a Branbergen. Ali o prelado visitou uma pessoa doente, e animou-a a descobrir toda a eficácia sobrenatural do sofrimento oferecido a Deus.

De tarde, o prelado do Opus Dei foi ao aeroporto de Arlanda, para a viagem a Roma. Em uma mensagem final, ele encorajou todas as pessoas da Obra e amigos do país sueco a viverem "alegres na esperança", como disse São Paulo aos primeiros cristãos.

Sábado, 14 de abril de 2018

De manhã, o prelado celebrou a Santa Missa e dirigiu algumas palavras aos fiéis do Opus Dei presentes. “Os apóstolos estavam sozinhos no lago, sem Jesus”, disse. “Cada um de nós também pode navegar na escuridão, quando encontra dificuldades na vida. Nessas ocasiões, podemos pensar que Jesus está ausente, mas Ele vive sempre conosco".

Além disso, ele recebeu algumas famílias na residência para estudantes Lärkstaden. As conversas que tiveram foram sobre esperanças, dificuldades e sonhos de muitas pessoas que recebem ajuda espiritual através dos meios de formação oferecidos pelo Opus Dei. O prelado falou-lhes, entre outras coisas, sobre a amizade como um caminho natural para compartilhar o Evangelho.

Nem sempre podemos entender o sofrimento, mas sempre podemos amar

À tarde, Mons. Fernando Ocáriz teve um encontro no centro de conferências Finlandiahuser com mais de 200 pessoas provenientes de vários lugares da Suécia, Noruega e Dinamarca. “Podemos estar sempre alegres”, disse ele aos presentes, “apesar das preocupações e sofrimentos, porque o fundamento da nossa alegria é Jesus Cristo. Nem sempre podemos entender o sofrimento, mas sempre podemos amar. Toda vez que olhamos para o crucifixo, vemos quão grande é o amor de Cristo por nós”.

Vários temas foram abordados durante o encontro: a liberdade interior, a fidelidade, o amor fraterno, a virtude da castidade e a transmissão da fé.

Sexta-feira, 13 de abril de 2018

O prelado celebrou a missa em Trädlärkan, um centro do Opus Dei em Estocolmo. Em seguida, ele foi para a residência do cardeal Anders Arborelius, em Södemalm. Mons. Arborelius é o primeiro cardeal sueco da história.

“O desafio que os cristãos temos - disse o cardeal ao prelado - é dar um passo à frente na arena pública para falar de nossa fé, para dar testemunho da fé cheio de caridade em nossas circunstâncias pessoais”.

Em conversa com o prelado, o cardeal sueco afirmou que “com o nosso testemunho, as pessoas entenderão o que Cristo significa para nós, o que a Igreja significa para nós. Um exemplo pessoal é muito importante. Se há uma certa aversão aos ensinamentos, doutrinas, dogmas, há a aceitação de uma pessoa que, por sua própria experiência, pode falar sobre como Jesus e a Igreja a influenciou. Este é meu desejo e minha proposta”.

Quinta-feira, 12 de abril de 2018

Mons. Fernando Ocáriz iniciou sua jornada pastoral na Suécia, que durará quatro dias. No aeroporto, esperava Mons. Andrés Bernar, vigário regional do Opus Dei na Suécia. Após o desembarque, eles foram para a residência estudantil Lärkstaden, onde o prelado pôde cumprimentar algumas pessoas.

Depois do jantar, o prelado esteve alguns momentos com as pessoas responsáveis pela administração da residência, que lhe contaram como, por meio de seu trabalho, procuram contagiar a fé ao seu redor.